Roger lamenta morte de torcedor e afirma: 'Não aguentamos mais isso'

Atacante comentou que jogadores não conseguem se concentrar totalmente quando acontecem brigas de torcida no entorno do estádio

Por O Dia

Rio - Autor do gol do Botafogo na derrota por 2 a 1 para o Flamengo, na noite deste domingo, no Engenhão, o atacante Roger comentou a bárbarie que aconteceu antes da partida no entorno do estádio. Um torcedor botafoguense foi morto com um tiro no peito.

Segundo o jogador, ações como essas são lamentáveis e fazem os atletas ficarem com raiva. O atleta também se solidarizou com a família da vítima. 

"Fica aqui nos sentimentos para a família que perdeu o rapaz. Sou totalmente contra isso, não é futebol, é crime e precisa ser julgado. A gente não usa isso como vitória. Não achamos legal essa rivalidade e não apoiamos. A palavra de hoje talvez seja que nos sentimos enojados com tanta barbaridade por parte dos torcedores. Futebol é um espetáculo, para você curtir com a família, com seu filho... Que as pessoas possam ter mais consciência disso. O país já vive tanta coisa ruim. Fica aqui nossa lamentação. Nós atletas temos raiva. A gente não aguenta mais isso", disse Roger.

Roger concedeu entrevista coletivaVitor Silva / SS Press

Ao falar de futebol, o jogador comentou sobre uma possível chance como titular para a partida contra o Olímpia, na próxima quarta-feira, no Estádio Nilton Santos. O atletas se diz pronto se a oportunidade for dada pelo técnico Jair Ventura. 

"Se tiver a oportunidade de começar o jogo, estarei pronto. O gol também ajuda... Tira esse peso e a expectativa é a melhor possível para a quarta-feira. O futebol de hoje tem isso. Você arma a equipe conforme o adversário. Todo mundo quer ser titular, mas temos que respeitar. Essas mudanças mostram que todo mundo tem capacidade para jogar. O Botafogo precisa de um grupo forte, pois temos uma temporada longa". finalizou o atacante. 

Confusão no estádio

Em nota na noite deste domingo, a Secretaria Municipal de Saúde informou que oito torcedores, vítimas de agressão ou tiros, foram encaminhados ao Hospital Municipal Salgado Filho. Um morreu, quatro receberam alta e três permanecem internados, sendo um em estado grave.

Além deles, mais um, no Hospital Memorial, também está em estado grave após ter sido atingido por um tiro no rosto.