Botafogo conta com a força de Camilo para bater o Olimpia na Libertadores

Entre dúvidas e baixas, como Jonas, suspenso, e Montillo, machucado, o Glorioso promete explorar a vantagem do empate conquistada no Rio

Por O Dia

Camilo é o principal jogador do Botafogo em campoVitor Silva / SS Press / Divulgação

Assunção - A vasta cabeleira não é a única inconfundível marca de Camilo. Dono de uma técnica apurada com a bola nos pés e de uma serenidade ímpar, o camisa 10 será uma das referências de equilíbrio do Botafogo no decisivo confronto com o Olimpia , hoje, às 21h45, no Defensores del Chaco. Credenciado pela vitória de 1 a 0, no Nilton Santos, o Alvinegro joga pelo empate, em Assunção, para confirmar a sonhada vaga na fase de grupos da Libertadores da América.

Entre dúvidas e baixas, como Jonas, suspenso, e Montillo, machucado, o Botafogo promete explorar a vantagem conquistada no Rio, porém, sem se acomodar. Tal postura foi determinante no empate, em Santiago, que garantiu a classificação diante do Colo-Colo.

“O Botafogo está crescendo na parte técnica e na tática. Estamos encorpando e temos tudo para fazer uma boa partida”, disse Camilo.

Marcado pelas assistências, jogadas de efeito e belos gol, o camisa 10 busca o primeiro na temporada. Recuperado de problemas musculares e mais perto da melhor forma física, ele promete deixar a sua contribuição em Assunção hoje à noite.

Titular novamente%2C Roger é a esperança de gols do GloriosoVitor Silva / SS Press / Divulgação

CLIMA HOSTIL

A classificação no Chile deixou lições para o Botafogo, inclusive com as experiências negativas. O ambiente hostil no Estádio Monumental foi marcado pelo apedrejamento do ônibus do clube, cheiro de tinta no vestiário alvinegro e gramado seco durante o aquecimento. Ciente de algumas ciladas ainda colocadas em prática na Libertadores, o técnico Jair Ventura garantiu estar preparado para qualquer situação.

“Temos essa preocupação. Essa é uma dos grandes dificuldades da Libertadores. Mas faz parte. Estamos preparados, com a cabeça boa. Foi assim, fora, contra o Colo-Colo. Mesmo sofrendo o gol no inicio, a equipe não se desorganizou. A palavra-chave é equilíbrio. Temos que ter atenção redobrada do início ao fim”, disse o treinador, que mantém a confiança para o desafio com clima de decisão.

“É um jogo muito importante, até por ser o último, para coroar a entrega desse grupo. Uma equipe que teve pouco tempo de preparação e passou pelo qualificado Colo-Colo, que nos deu muito trabalho. Agora temos mais um gigante da América pela frente. Um clássico, tudo pode acontecer, vamos fazer de tudo para passar. É uma final”, disse.