Gatito Fernández revela segredo para pegar pênaltis e lutar por vaga de titular

Goleiro foi herói da saga alvinegra na Copa Libertadores da América

Por O Dia

Rio - Recepcionado como herói pela torcida do Botafogo, que ontem madrugou no Aeroporto Internacional Tom Jobim para receber os jogadores após a classificação para o Grupo 1 da Libertadores, Gatito Fernández viveu uma noite de redenção na quarta-feira. Contestado, machucado, recuperado, barrado. Assim pode ser resumida a linha cronológica do goleiro nas últimas semanas até a decisão por pênaltis diante do Olimpia — foram três defesas após derrota por 1 a 0 no tempo regulamentar.

Do banco de reservas, o herói improvável acompanhou a maior parte do jogo no Defensores del Chaco. Recuperado de lesão na coxa direita, Gatito estava à disposição, porém, não reconquistou a vaga de titular. Na véspera da decisão em Assunção, ele, coincidentemente, defendeu três penalidades no treino, que não foram o suficientes para convencer o técnico Jair Ventura a efetivá-lo no time.

Gatito Fernández pegou três pênaltis no jogo contra o OlímpiaVitor Silva / SS Press / Botafogo

"Helton (Leite) estava fazendo grande jogo e mostrando segurança. Eu também senti um pouco por causa dele. Falei que é um grupo, normal, hoje sou eu, amanhã é ele. Futebol sempre dá voltas, todo mundo tem que estar bem e preparado", afirmou Gatito.

GOLEIRO ESTUDOU RIVAIS

Como a oportunidade não escolhe momento, o paraguaio se mostrou preparado para a responsabilidade quando Helton Leite se machucou. Ele entrou em campo no auge da pressão do Olimpia e nem mesmo o gol de Montenegro abalou a confiança do frio goleiro.

"Tem coisas que só acontecem com o Botafogo. Perdemos uma substituição por conta da lesão do Helton. Foram quatro finais em 30 dias para nos prepararmos. Fomos na raça, na garra, na intensidade. A cara do Botafogo", exaltou, após o duelo, o técnico Jair Ventura.

Feliz pela volta por cima, Gatito Fernández, que foi unanimidade entre os alvinegros no desembarque de ontem, revelou ter estudado os cobradores rivais, pois estava de olho em uma eventual decisão de vaga na disputa de pênaltis. Especificamente em relação a Mendoza.

"Já o conhecia um pouco, tinha visto um vídeo. No domingo, ele havia feito um gol de pênalti cobrando no meio do gol, então esperei. Ele bateu muito forte, mas graças a Deus consegui tirar e ajudar meus companheiros, que bateram muito bem", elogiou Gatito, que, com a confiança renovada, promete iniciar uma nova fase no Glorioso. Na disputa com Helton Leite, ele já deu o ‘pulo do gato’ para garantir a vaga de titular.