Capitão e xerife da defesa, Joel Carli orienta os jovens zagueiros do Botafogo

Após perder o começo da temporada devido a uma lesão, o jogador reconquistou a vaga de titular no clube alvinegro

Por O Dia

Rio - Herdeiro da braçadeira de capitão na ausência do ídolo Jefferson, machucado, Carli tem justificado o papel de líder no Botafogo. Sinônimo de segurança na defesa, o argentino também exerce seu domínio fora das quatro linhas como uma espécie de conselheiro da garotada. Revelados na base alvinegra, os zagueiros Emerson e Marcelo são dois dos 'pupilos' mais assistidos pelo xerife, de 30 anos.

Carli se torna um exemplo para os garotos do BotafogoVitor Silva / SSPress / Botafogo

"Quando comecei, gostava que conversassem comigo e muitos companheiros me ajudaram. Hoje, tento fazer o mesmo com esses jovens e peço que escutem mais, aprendam e se dediquem ao máximo", destacou Carli.

Em busca de uma reaproximação com a diretoria, Emerson é um dos jogadores mais chegados a Carli. Ao lado do argentino, ele ajudou o Botafogo a alcançar o status de melhor defesa do returno do Brasileiro, com nove gols sofridos em 19 rodadas. O impasse na renovação de contrato fez a revelação, de 21 anos, perder espaço nesta temporada.

Após seguidas recusas, as partes mantêm a esperança de chegar a um acordo. A proposta salarial do Botafogo gira na casa dos R$ 100 mil por um contrato de três anos. Em meio ao impasse, Marcelo, de 21 anos, roubou a cena.

Com a lesão de Carli, ele virou titular na Libertadores, teve o contrato prorrogado até 2020 e a multa elevada para U$ 42 milhões (R$ 132,5 milhões, sendo que R$ 100 milhões para clubes brasileiros), de acordo com o site 'Globoesporte.com'. Com o experiente Emerson Silva em alta, a briga na defesa promete ser acirrada. "Estamos no Botafogo. A disputa interna precisa ser boa e forte", disse Carli.