Presidente do Bota proíbe Fla de jogar no Engenhão: 'mais fácil prender o Zorro'

Carlos Eduardo Pereira reclamou de atitude da diretoria rival

Por O Dia

Rio - A briga entre as diretorias de Flamengo e Botafogo segue com os nervos à flor da pele. Em audiência pública que tratava sobre o Maracanã, Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo, pediu para que o estádio seja de todos os clubes, mas ressaltou que, no Nilton Santos, o Rubro-Negro não joga.

Carlos Eduardo Pereira afirmou que o Flamengo não jogará mais no EngenhãoVitor Silva / SS Press

A justificativa do presidente alvinegro foi, mais uma vez, a acusação de que a diretoria do Flamengo não tem ética. Fincando o pé, Carlos Eduardo Pereira fez uma analogia com o personagem Zorro, para mostrar o quão difícil seria ceder o estádio para que o rival jogasse.

"Aliás, é mais fácil o Sargento Garcia prender o Zorro do que o Botafogo permitir que o Flamengo jogue no Nilton Santos. A minha sugestão é que a gente desarme os espíritos e discuta algo justo. O Maracanã deve ser de todos, assim como é o Nilton Santos. Só o Flamengo não pode jogar lá pois é um clube que não tem ética e trata os temas com modos inadequados."

Além disso, o mandatário revelou mais um episódio em que se revoltou com o presidente Eduardo Bandeira de Mello, acontecido na final da Taça Rio. Segundo CEP, um acordo entre os clubes teria sido descumprido.

"Tivemos uma reunião na Ferj sobre a final da Taça Rio. Ficou decidido que o Maracanã seria neutro. Chegando lá, o estádio estava iluminado com as cores do Flamengo. Fizeram um crachá rubro-negro para a gente usar. Isso não existe. Não compactuamos. Temos muitos problemas com o Flamengo."

Fora da decisão do Carioca, o Botafogo se concentra na Libertadores, competição pela qual pega o Barcelona-EQU, na próxima terça-feira.