Por pedro.logato

São Paulo - A derrota de 1 a 0 para o Grêmio, na noite de quarta-feira, poderia marcar o fim da linha para o técnico Tite no Corinthians. Mas não foi. Prestigiado pelos jogadores e por alguns dirigentes, o treinador andou na corda bamba, foi pressionado pela torcida no desembarque, mas teve seu emprego garantido no fim na noite desta quinta.

Tite continua no comando da equipeRafael Neddermeyer / Agência O Dia

“Tite não sai. Ele continua com a gente aqui no Corinthians”, disse o diretor-adjunto de futebol, Duílio Monteiro Alves.

O presidente Mário Gobbi e o diretor de futebol Roberto de Andrade se reuniram por quase duas horas, ontem, em um dos campos do centro detreinamento.

Os dois deixaram o clube sem falar com a imprensa. Coube a Duílio Monteiro Alves acabar com o mistério. Os dirigentes decidiram manter Tite no cargo por causa da ligação afetiva com os jogadores, construída com a conquista da Libertadores e do Mundial em 2012.

A péssima campanha no Brasileiro — são apenas oito vitórias em 29 jogos, além de 13 empates, sendo oito em 0 a 0 — tira o sono da diretoria, que deve segurar Tite até o fim do ano, quando acaba o contrato. O treinador tem agora duas missões: evitar o rebaixamento e conquistar a Copa do Brasil (o time está nas quartas de final com o Grêmio e o primeiro jogo acabou em 0 a 0).

Para o lugar de Tite, o Corinthians já teria entrado em contato com Mano Menezes, que recentemente pediu demissão do Flamengo.

Você pode gostar