Casa de torcedora do Grêmio que ofendeu Aranha é incendiada

Ela não morava no local, em Porto Alegre, desde o episódio de racismo. Residência foi alvo de pessoas ainda não identificadas

Por rodrigo.hang

Rio Grande do Sul - A torcedora do Grêmio, Patrícia Moreira da Silva, flagrada chamando o goleiro Aranha, do Santos, de macaco durante partida válida pela Copa do Brasil na Arena no final de agosto, teve sua casa em Porto Alegre incendiada na sexta-feira.

Casa da torcedora Patrícia, que xingou o goleiro do Santos de macaco%2C foi incendiada em Porto AlegreDivulgação

Patrícia Moreira chora em programa de TV e nega racismo: 'Foi um impulso'

Segundo o jornal Zero Hora, por volta das 4h, o Corpo de Bombeiros foi chamado para controlar as chamas, que atingiram principalmente o assoalho. As informações são do advogado de Patrícia, Alexandre Rossato, que divulgou fotos da casa incendiada.

Rossato defende a torcedora no processo movido pelo goleiro do Santos. Ele afirma que sua cliente deixou a casa após o episódio na partida do Grêmio e está morando na casa de familiares. Segundo Rossato, o imóvel será alugado. Ele disse que o ataque é absurdo.

Em inauguração de campo na Mineira, Pelé minimiza insultos ao goleiro Aranha

"Não temos ideia dos autores, mas o que está acontecendo é um absurdo. Estão tendo atos muito mais criminosos do que qualquer crime que ela tenha cometido", disse o advogado. Por causa das ofensas racistas a Aranha (não só de Patrícia, mas de outros gremistas), o clube gaúcho foi excluído da Copa do Brasil.

Segundo o advogado, um dos irmãos da torcedora vai registrar queixa na Polícia Civil na tarde desta sexta.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia