Não dá nem para zoar os rivais

Aproveitamento de Fla, Flu e Vasco em 2015 é o segundo pior na era dos pontos corridos

Por O Dia

Rio - Um dos principais redutos de brincadeiras e gozações entre os torcedores dos grandes do Rio, o Largo da Carioca tem amanhecido triste a cada rodada desta edição do Campeonato Brasileiro. As camisas dos times são artigo cada vez mais raro nas ruas. Também pudera! A campanha dos cariocas não permite que ninguém tire onda com ninguém. Desde 2004, Flamengo, Fluminense e Vasco não tinham um começo tão ruim — sem falar que o Botafogo está na Segundona.

Fase dos clubes cariocas é complicadaDaniel Castelo Branco

Juntas, em três rodadas, as três equipes do Rio na Série A somam oito pontos, num pífio aproveitamento de 29,6%. Com quatro pontos, o Fluminense foi o único a conseguir vencer — 1 a 0 sobre o Joinville, no Maracanã, e mesmo assim com o adversário jogando desde os 22 do primeiro tempo com um a menos. Mas, se o Tricolor ganhou uma, também levou uma humilhante goleada de 4 a 1 do Atlético-MG. Já Vasco e Flamengo ainda não sentiram o doce gostinho de vencer. O Vasco tem três pontos e o Flamengo, um. No quesito gols, a participação carioca está longe dos bons tempos: juntos, os times balançaram as redes sete vezes — e levaram 11.

Nas três primeiras rodadas de 2004, quando o Botafogo também estava na Série A, a situação era um pouco pior: seis pontos e nenhuma vitória em 12 jogos, com aproveitamento de 16,6%. À época, Flamengo e Fluminense tinham dois pontos e Vasco e Botafogo, somente um. Se serve de alívio, naquele ano nenhum deles foi rebaixado.

O desânimo com o desempenho dos cariocas na Série A está refletido no semblante dos torcedores, que mostram preocupação e até certa irritação com os times do coração. “Esse time do Flamengo é horrível, se não melhorar ou a diretoria não trouxer reforços, vai ser o mesmo desespero de sempre para não cair”, adverte o rubro-negro Francisco Lima, de 28 anos.

O tricolor Wagner Silva, de 45 anos, também está com um pé atrás, mas tenta manter a esperança. “Acho que esse time do Fluminense pode melhorar. Mesmo sem o dinheiro do patrocinador, ainda temos o Fred, e ele tem que ser o líder em campo dessa garotada”, destaca.

O vascaíno Jader de Oliveira, de 33 anos, também revela um lado otimista. Mesmo sem nenhuma vitória na competição e com apenas um gol marcado, ele confia que o Gigante da Colina vá engrenar.

“Doriva é um ótimo treinador e sabe o que faz. Se ele rejeitou a proposta do Grêmio, é porque está gostando de trabalhar no Vasco e confia nos jogadores”, afirma.