Botafogo reage no fim e arranca empate emocionante contra o Flamengo na Ilha

Após estar perdendo por 3 a 1 aos 30 minutos do segundo tempo, Alvinegro mostra força e busca igualdade já no fim

Por O Dia

Rio - Na estreia do Botafogo na nova Arena na Ilha do Governador, o clássico contra o Flamengo teve de um tudo um pouco. Em um partida emocionante, onde o Rubro-Negro estava a frente no placar com 3 a 1 até os 30 minutos do segundo tempo, o Alvinegro mostrou força e buscou o empate por 3 a 3 neste sábado, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A partida ainda teve a presença de Tite, treinador da Seleção Brasileira, que só acompanhou quatro dos seis gols da partida. O técnico presenciou os tentos de Everton, Guerrero e Jorge para o Flamengo, e o belo gol marcado por Diogo Barbosa. Com o Fla vencendo por 3 a 1, o comandante brasileiro deixou o estádio aos 32 do segundo tempo e não viu os gols de Neilton e Salgueiro, selando o empate para o Glorioso.

Em jogo emocionante%2C Botafogo e Flamengo ficaram no empate por 3 a 3%2C neste sábado%2C na Ilha Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

O empate acaba por manter o Botafogo na 14ª colocação, com 17 pontos. No próximo domingo, o Alvinegro volta a campo para enfrentar a Chapecoense, às 16h, na Arena Condá. Já para o Flamengo, o resultado não é o ideal, mas recoloca a equipe no G-4, com 24 pontos, na 4ª posição. O Rubro-Negro agora só volta a campo na segunda-feira (25), para encarar o América-MG, às 20h, no Estádio Kléber Andrade, no Espírito Santo.

O JOGO

Jogando a primeira partida na sua nova casa, a Arena Botafogo, o Alvinegro queria uma estreia de diante da torcida com o pé direito e em cima do rival Flamengo. Se não bastasse a atmosfera especial por esses elemntos, o novo técnico do Brasil, Tite, compareceu na Ilha do Governador para acompanhar o clássico. E quem começou com as bolas nos pés foram os visitantes, porém, era um domínio ineficiente já que não consegui chegar efetivamente.

Seguindo sua estratégia, o Botafogo foi efetivo e criou a primeira chance com um cabeçada na trave de Rodrigo Lindoso aos 13. O lance destabilizou o Flamengo, que viu o Alvinegro crescer na partida e pressionar a saída de bola rubro-negra. Porém, aos 23, a equipe da Gávea aproveitou uma lambança da zaga adversária. Após cruzamento de Mancuello, Guerreo tenta dominar a bola, mas ela foge dele, porém, sozinho, Everton aproveitou para estufar as redes de Sidão: 1 a 0 Fla e festa vermelha e preta.

Com a falha, o setor defensivo do Botafogo começou a mostrar suas deficiências e dava muito espaço para o trio de ataque do Flamengo trocar passes. Mas aos 33, Diogo Barbosa apareceu para deixar tudo igual. Após bom lance de Airton, a bola sobre na esquerda para o lateral que chega chutando com vontade e acerta um petardo no canto, sem chances para Alex Muralha: 1 a 1 na Ilha.

O Botafogo se animou na partida e buscou a virada ainda no primeiro tempo. Na melhor chance, Pimpão foi bem travado pela zaga na hora da finalização e não conseguiu colocar o Alvinegro a frente no placar. Apesar do campo complicado, ambas as equipes derão emoção a um primeiro tempo razoável na Arena Botafogo.

Na volta para o segundo tempo, o Flamengo, apesar de terminar a primeira etapa jogando mal, entrou mais ligado e buscando o ataque. Se aproveitando das falhas de posicionamento do setor defensivo do Botafogo, o ataque rubro-negro achava espaço para atacar. Com dificuldade na saída de bola, o Alvinegro foi punido logo aos 11. Jorge recuperou a bola no campo de ataque, tabelou com Everton, e de bico, finalizou para recolocar os visitantes a frente mais uma vez.

Perdido no jogo, o Botafogo passou a ser dominado pelo Flamengo e inoperante no meio-campo. Aos 22, em mais uma falha defensiva, o Rubro-Negro encaminhou os três pontos na Ilha. Após erro de Emerson Santos, Everton recueperou a bola e serviu Guerrero na área. O camisa 9 protegeu e bateu de bico sem chances para Sidão. 3 a 1 Fla e vitória encaminhada. O técnico Tite, que acompanhava a partida, foi embora do estádio logo após o terceiro gol e perdeu a reação alvinegra.

Sem força no meio-campo, Ricardo Gomes resolveu se jogar de vez a frente e colocou Canales e Salgueiro. E a mexida surtiu efeito. Com mais presença no campo de ataque, o Botafogo passou a pressionar o Flamengo. Aos 33, Airton lançou Emerson Santos na direita livre. O zagueiro tocou por cima de Alex Muralha e antes da bola entrar, Neilton desviou para diminuir o placar. O lance incendiou o time alvinegro que já parecia entregue na partida.

Motivado, o Botafogo aproveitou a passividade do Flamengo e seguiu atacando. Em ataque rápido iniciado na esquerda com Camilo, o camisa 10 avançou e descobriu Salgueiro na entrada da área. O uruguaio girou com categoria em cima de Jorge e bateu cruzado no cantinho sem chances para Alex Muralha. Mais um gol bonito do Alvinegro e igualdade no placar na Ilha. O jogo que já parecia decidido para o Rubro-Negro, pegou fogo nos momentos finais.

O Flamengo ainda teve uma chance de voltar a frente no placar aos 46, mas Canteros, já dentro da área, tentou tirar demais de Sidão e chutou para fora. O placar já estava decidido na Ilha: 3 a 3. Para o Botafogo, sensação de que poderia ter saído com a vitória e para o Rubro-Negro, o gostinho foi de derrota após dominar o inicio do segundo tempo e se desligar no fim da partida.


FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3x3 FLAMENGO

Estádio: Arena Botafogo
Público e Renda: 9.989 pagantes (11.692 presentes) / R$ 391.830
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Gols: Everton (Flamengo, aos 23' do 1ºT), Diogo Barbosa (Botafogo, aos 33' do 1ºT), Jorge (Flamengo, aos 11' do 2ºT), Guerrero (Flamengo, aos 23' do 2ºT), Neilton (Botafogo, aos 34' do 2ºT), Salgueiro (Botafogo, aos 37' do 2ºT)
Cartões Amarelos: Airton, Emerson Santos (Botafogo) e Everton, Jorge, Fernandinho e Guerrero (Flamengo)
Cartões Vermelhos:

BOTAFOGO: Sidão; Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Santos e Diogo Barbosa; Airton, Bruno Silva (Salgueiro), Rodrigo Lindoso e Camilo; Rodrigo Pimpão (Neilton) e Sassá (Canales); Técnico: Ricardo Gomes

FLAMENGO: Alex Muralha; Pará, Réver, Juan e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Mancuello (Fernandinho); Marcelo Cirino (Canteros), Everton (Cuéllar) e Guerrero; Técnico: Zé Ricardo.