Avião que levava Chapecoense arremete por causa do mau tempo e assusta delegação

Confronto contra o Grêmio, em Chapecó, foi adiado

Por O Dia

Porto Alegre - A Chapecoense vive mais um drama por conta de problemas com uma viagem de avião. No entanto, nada perto da tragédia que vitimou uma delegação inteira, quando o clube viajava à Colômbia, para a final da Copa Sul-Americana.

Wellington Paulista e Caike chegaram a Porto Alegre esbanjando tranquilidadeDivulgação / Chapecoense

Depois de vencer o Cruzeiro, a delegação do clube catarinense não pôde seguir viagem de avião para Chapecó, pois o aeroporto da cidade estava fechado. O voo, programado para a cidade de Passo Fundo-RS, também não aterrissou por lá. Após arremeter, seguiu para Porto Alegre. Apesar do grande susto, a delegação chegou bem na capital gaúcha.

Apesar de todos os problemas enfrentados pelos atletas, Wellington Paulista e Caike desembarcaram na capital gaúcha com um sorriso no rosto e o presidente da Chapecoense demonstrou tranquilidade, apesar de lamentar o ocorrido.

"Às vezes isso acontece. Sabemos que nosso aeroporto (de Chapecó) tem esses problemas, mas encaramos isso com naturalidade. Claro, isso é sempre um problema, causa um desgaste maior, mas nossa equipe é experiente e estamos fazendo o melhor possível para que os jogadores fiquem bem."

Enquanto isso, um carro com quatro funcionários do clube capotou na estrada até Chapecó. Uma nutricionista, dois seguranças e o motorista, no entanto, passaram pelo acidente sem sofrer ferimentos.

A CBF confirmou que a partida, programada para as 21h45 desta quarta-feira, foi adiada. O motivo seria a falta de segurança para que as delegações chegassem ao local do jogo.