Léo Moura perdoa Luxemburgo e fala sobre saída do Flamengo: 'me precipitei'

Hoje no Grêmio, lateral-direito admite que não era hora de deixar o clube

Por O Dia

Rio - Depois de passar dez anos no Flamengo, o lateral-direito Léo Moura se despediu com direito a Maracanã lotado e grande festa para seu último jogo com a camisa rubro-negra. Seria sua aposentadoria, caso o jogador não tivesse retornado aos gramados, jogando por times dos EUA e da Índia, até retornar ao Grêmio.

Última partida do lateral com a camisa do Flamengo foi em amistoso contra o Nacional-URU, em março de 2015André Mourão

Mesmo aos 38 anos, o jogador vem sendo importante no time armado por Renato Gaúcho. Depois de cancelar a aposentadoria, Léo Moura admite que não deveria ter saído do Flamengo, em 2015.

"Me precipitei um pouco de ter saído do Flamengo, até pela segunda passagem do Vanderlei. Foi um erro meu de comunicação, talvez um erro dele também, de a gente não poder sentar frente a frente pra conversar. Eu talvez tenha errado de sair do Flamengo naquele momento. Vi que não seria muito utilizado por ele, por questões de ele ter ouvido questões na gestão da Patrícia, aquele problema do Ronaldo."

Apesar de dizer que deixou o clube por conta do treinador Luxemburgo, o jogador afirma que não tem mais nenhum tipo de problema com o ex-comandante rubro-negro, mas gostaria de receber um pedido de desculpas.

"Isso aí já ficou pra trás e no momento que eu puder estar frente a frente com ele, posso pedir desculpas tranquilamente, mas também quero ouvir dele", afirma o lateral.

Léo Moura faz boa campanha com o Grêmio, que ocupa a segunda colocação no Brasileirão, oito pontos atrás do líder Corinthians.