Afastado, auxiliar vai fazer exames de vista e psicológico

Rodrigo Castanheira não validou gol de Douglas em clássico

Por O Dia

Rodrigo Castanheira não vai trabalhar na nona rodada do CariocaAlexandre Brum / Agência O Dia

Rio - Depois de não sinalizar o gol do Vasco na cobrança de falta de Douglas - em que a bola ultrapassou a linha em 33cm -, o auxiliar Rodrigo Saraiva Castanheira terá que passar por uma bateria de exames. A começar pelo de vista. A exigência foi feita pelo presidente da Federação de Futebol do Rio (Ferj), Rubens Lopes. Nesta terça-feira, o auxiliar deu queixa na polícia contra ameaças que recebeu de torcedores pela Internet. Rubens Lopes justificou o seu pedido.

“Esse árbitro tem 11 anos de atividade. Tem competência. Temos que entender o motivo de não ter tomado a decisão certa. Isso a ciência pode responder. Vamos reexaminá-lo, teremos contribuição da oftalmologia. Vamos ver se o psicólogo também pode entender o que ocorreu”, explicou Rubinho em entrevista à Rádio Brasil.

Mais tarde, a Ferj enviou documento à Comissão de Arbitragem determinando que o auxiliar seja afastado até o fim dos exames: “Determinamos que o Sr. Rodrigo Castanheira não faça parte dos grupos destinados aos sorteios para as escalas dos jogos até que a avaliação médica, clínica, oftalmológica e psicológica ateste a aptidão para o retorno às atividades.”

Temendo por sua integridade física após ameaças, Castanheira ficou três horas na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, prestando depoimento. De acordo com o delegado Alessandro Thiers, responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, três pessoas serão intimadas e podem responder por incitação à violência, ameaça, calúnia, difamação e injúria. Somadas, as penas podem chegar a quatro anos e meio de reclusão.