Agredido por torcedores do Flamengo, Berna desabafa: 'Corri risco de morte'

Goleiro criticou bastante a maneira como o combate a violência é combatido no futebol e pediu auxílio ao governo do país

Por O Dia

Rio - Agredito por torcedores do Flamengo, antes da partida entre a sua equipe, o Macaé, e o Rubro-Negro no Moacyrzão, o goleiro Ricardo Berna explicou o ocorrido no vestiário. Segundo o jogador, o vestiário da equipe do Norte Fluminense estava repleto de familiares dos atletas.

"O que aconteceu foi uma invasão no vestiario. A maioria estava com a camisa de torcidas organizadas do Flamengo. Quando eles viram os atletas, a comissão técnica, as mulheres dos jogadores, os filhos, eles começaram a algazarra. Churataram portas e agrediram a gente. Felizmente ninguém reagiu, se não, muito provavelmente não teria tido a partida", afirmou.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

O jogador sofreu um corte no queixo. Durante o intervalo, Ricardo Berna fez uma crítica a maneira como o país encara fatos semelhantes no futebol. "Me machucaram desta maneira, porque estavam com latas, objetos. Acho que me reconheceram, mas me escondi debaixo de uma mesa. Fiquei fora do Rio por mais de um ano e quando eu volto eu vejo isso. A rivalidade é importante, mas isso não deveria acontecer. São vândalos e tem que ser punidos. Eu corri risco de morte aqui. Temos exemplos de outros países, os governos se uniram e acabou isso. Temos que utilizar os bons exemplos e mudar.