Moça Bonita tem 48h para apresentar certificado dos bombeiros ao Procon

Engenhão também apresentou irregularidades em áreas internas, mas foi apenas notificado pelo Procon do Rio

Por O Dia

Rio - O Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, realizou na última quarta-feira nova ação de fiscalização da Operação "De Olho no Lance". Os fiscais vistoriaram dois estádios durante a realização de jogos do Campeonato Carioca: o Moça Bonita, em Bangu, e o Nilton Santos, estádio do Botafogo conhecido como Engenhão.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

O Moça Bonita, que recebeu a partida entre Bangu e Barra Mansa, não apresentou o certificado do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ) autorizando seu funcionamento. Caso não apresente o certificado na sede do Procon Estadual em 48 horas, o estádio será interditado até a apresentação do documento. O próximo jogo marcado para o estádio está agendado para o dia 29 de março, entre Bangu e Tigres.

Sem laudo do Corpo de Bombeiros%2C o estádio de Moça Bonita corre o risco de ser interditadoDivulgação

Além da ausência do certificado do Corpo de Bombeiros, o estádio Moça Bonita foi autuado por outras irregularidades. Ele não possui banheiro adaptado para cadeirantes e não tinha um exemplar do Livro de Reclamações, obrigatório em todos os estabelecimentos comerciais do Rio de Janeiro pela Lei Estadual n° 6.613/13. Além disso, o número de bebedores no estádio não é suficiente para a sua lotação.

No Engenhão, três cantinas foram autuadas por várias irregularidades. Em uma delas, a Dans Cantina, os fiscais encontraram seis copos de mate com o prazo de validade vencido. A Futebol Card, que administra as bilheterias do estádio, foi autuada por não ter um exemplar do Livro de Reclamações e do Código de Defesa do Consumidor (CDC), além de não ter um cartaz com o Disque 151 – telefone para receber denúncias e orientar os consumidores.

Balanço da Operação De Olho no Lance:

Estádio Moça Bonita (Bangu) - ausência do livro de reclamações; ausência de banheiro adaptado para cadeirantes; não há um número de bebedouros suficiente para a lotação do estádio; determinado prazo de 48h para apresentação do certificado do CBMERJ na sede da autarquia sob pena de interdição do estádio.

Dans Cantina (Estádio Nilton Santos) – ausência do Livro de Reclamações; Seis copos de mate (290ml) vencidos em 04/03/2015.

Kome Pastel (Estádio Nilton Santos) – ausência de exemplar do CDC; ausência do cartaz do Disque 151; ausência do Livro de Reclamações.

Doguis (Estádio Nilton Santos) – possui o Livro de Reclamações, mas ele não está autenticado pelo Procon Estadual, como é ter determinado pelaLei Estadual n° 6.613/13.

Futebol Card (Estádio Nilton Santos) – ausência de exemplar do CDC; ausência do cartaz do Disque 151; ausência do Livro de Reclamações.