Rivalidade além do campo marca clássico entre Flamengo e Botafogo no Carioca

Clima quente entre diretorias aquece duelo. Rubro-negro tem a vantagem do empate, por ter terminado a primeira fase com melhor campanha

Por O Dia

Rio - Flamengo e Botafogo voltam hoje, às 16h, no Maracanã, a medir forças como manda a receita do futebol: na bola. E com o tempero de um mata-mata, sabor que os dois times não experimentam à mesma mesa desde 2013. No cardápio desta semifinal do Campeonato Carioca, uma rivalidade que fez o Rio ferver no fim da última década, mas que, há três anos e meio, é mais quente fora do que dentro de campo.

Roger marcou o gol do Botafogo contra o Flamengo, ainda na Taça GuanabaraVitor Silva / SS Press / Botafogo

Um empate azeda o caldo alvinegro e dá ao Rubro-Negro, com a melhor campanha, o gosto da classificação. Para a equipe comandada por Jair Ventura, só a vitória será capaz de deixar os adversários no cheirinho.

As insossas trocas de farpa pelas redes sociais entre as diretorias, a transferência de Willian Arão e até a transição da administração da Arena da Ilha são ingredientes que mais amargam do que apimentam a rixa. Na memória gustativa das duas torcidas, no entanto, está a certeza de que é possível reacender a disputa.

Em 2013, Flamengo e Botafogo sentiram, pela última vez, o sabor de eliminar. Na semifinal da Taça Guanabara, o Alvinegro venceu por 2 a 0, gols de Julio Cesar e Vitinho, e abriu caminho para a conquista do Carioca.

Já nas quartas de final da Copa do Brasil daquele ano, o Rubro-Negro, engasgado, comeu o frio prato da vingança, ao golear o rival por 4 a 0 — três de Hernane e um de Léo Moura. No primeiro jogo, empate em 1 a 1. Desde então, a conta dos confrontos decisivos está fechada. Antes, porém, os dois times polarizaram o futebol do Rio de tal forma que era impossível deixar a chapa esfriar.

Entre 2007 e 2009, o Flamengo ofereceu uma série de dissabores ao Botafogo. O tricampeonato carioca rubro-negro foi preparado a fogo alto. No primeiro e no terceiro ano, o Rubro-Negro conquistou o título nos pênaltis. No ano do tri, o time da Gávea também superou o rival na decisão da Taça Rio.

O Flamengo ganhou os dois jogos na final, em 2008. E deu ao Alvinegro outro vice-campeonato indigesto, na Taça Guanabara. Ao Botafogo, restou o gosto de levar a melhor na semifinal da Taça Rio.
A forra veio em 2010. Prato de entrada: vitória do Botafogo sobre o Flamengo, na semifinal do primeiro turno. O Alvinegro tinha fome de anteontem por títulos e abocanhou também o segundo. De uma vez só, comeu o prato principal e a sobremesa. A cavadinha de Loco Abreu serviu de cereja do bolo.

Loco Abreu marcou época no BotafogoMárcio Mercante / Agência O Dia

Nos pênaltis, o Flamengo eliminou o Botafogo da Taça Guanabara do ano seguinte. Começava a arrancada para o clube provar de outro título estadual, temperado ainda pela invencibilidade.

Zé guarda segredo sobre o time

Zé Ricardo manteve seu mistério até o fim. Sem Diego, que passou por cirurgia no joelho direito, o treinador avaliou alternativas, mas guardou para si a solução encontrada. Outro problema é o desgaste muscular de Donatti, que deve ser substituído por Rafael Vaz na semifinal de hoje, contra o Botafogo.

Guerrero foi um dos responsáveis pela vitória do Flamengo no único confronto contra o Bota neste anoGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

Nos treinos fechados, a formação com três volantes foi a mais experimentada. Nesse caso, Márcio Araújo, Rômulo e, principalmente, Willian Arão, se dividiriam entre a marcação e a criação, com um provável trio ofensivo formado pelos velozes Gabriel e Everton, além do artilheiro Guerrero.

Outra opção seria a entrada de Renê no lugar de um dos atacantes de lado, provavelmente Gabriel. O lateral-esquerdo atuaria na sua posição de origem, e o peruano Trauco seria deslocado para o meio-campo. Assim, o time passaria do 4-3-3 para o 4-4-2.

Donatti, mais uma vez, ficou fora do treino de ontem. Como não trabalhou com o grupo nos últimos dias, deve mesmo ser vetado para o clássico.

Fogão precisa vencer o cansaço

O Botafogo precisou de muito planejamento na preparação para o clássico de hoje, com o Flamengo, pela semifinal do Carioca. Depois de uma desgastante viagem do Equador ao Rio de Janeiro, com mais de dez horas de voo, o elenco chegou ontem de manhã e fez um único treinamento, no fim da tarde, no Nilton Santos.

O técnico Jair Ventura deve selecionar os jogadores com as melhores condições físicas para entrar em campo, já que a maratona alvinegra de jogos continua: o Botafogo volta a campo novamente na quarta-feira, contra o Sport, no primeiro duelo pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Expulsos na final da Taça Rio, contra o Vasco, o zagueiro Marcelo e o volante Bruno Silva vão cumprir suspensão e devem ser substituídos por Fernandes e Dudu Cearense, respectivamente. Autor do gol nos últimos minutos no empate com o Barcelona, Sassá pode ganhar uma chance entre os titulares, no lugar de Roger.