Por pedro.logato

Chile - Um desafio para dar moral ao futebol brasileiro. Em seu primeiro jogo eliminatório depois da vergonha que passou na Copa do Mundo de 2014, a Seleção encara o Paraguai, hoje, às 18h30, em Concepción, disposta a mostrar que tem força e futebol para vencer e se manter na luta pelo título da Copa América — mesmo depois dos vexames diante de Alemanha (7 a 1) e Holanda (3 a 0) no Mundial.

Mesmo assim, a transpiração deverá prevalecer sobre a inspiração, o talento. É o que dá a entender o técnico Dunga. Para chegar às semifinais — e livrar Neymar de cumprir suspensão nas Eliminatórias para a Copa da Rússia —, ele cogita sacar o meia Philipe Coutinho, substituto do camisa 10, e escalar o zagueiro David Luiz como volante.

Dunga espera vitória contra o ParaguaiEfe

Nos quatro dias de preparação que teve desde a vitória (2 a 1) sobre a Venezuela, o treinador trabalhou especialmente como aumentar a pressão sobre o Paraguai e redobrou os exercícios defensivos em jogadas aéreas, uma das principais virtudes do adversário de hoje.

“Vamos tentar neutralizar essa jogada deles, aproveitar das nossas qualidades. Futebol tem acertos e erros. Nem sempre vai acertar. Temos trabalhado a cada jogo as situações da equipe adversária”, disse Dunga, que fez mistério sobre quem vai a campo no Estádio Ester Roa Rebolledo. “A definição do time titular passa pelo aproveitamento do time titular até o momento e a forma como o Paraguai joga”, despistou.

Brasil enfrenta o Paraguai neste sábadoInfografia O Dia

Indagado sobre o fato de a Seleção ter pela frente seu primeiro jogo eliminatório diante do algoz da Copa América de 2011, ele demonstrou tranquilidade: “Para a Seleção, muda pouco. Tem que vencer sempre. Há adrenalina, é partida única, mas daqui para frente, são decisões.”

Experiência para jogar as Eliminatórias

Carrasco na Copa América de 2011, na Argentina, quando eliminou o Brasil nos pênaltis, o Paraguai não nos traz boas recordações. Assim como daquela vez, em que era treinada por Mano Menezes, a Seleção vem de bons resultados em amistosos, mas faz campanha irregular na competição — duas vitórias apertadas sobre Peru e Venezuela e uma derrota para a Colômbia.
Dunga, porém, vê com bons olhos o jogo de hoje: “Adquirimos experiência. A Copa América será boa para nós. Vai ser bom para a Eliminatória, para o amadurecimento do time.”

Você pode gostar