Por pedro.logato
Rio - Messi não faturou sua quinta Bola de Ouro da Fifa — após ganhar o troféu nos últimos quatro anos, perdeu o trono de melhor jogador do mundo para Cristiano Ronaldo —, mas é apontado por Zico como a maior ameaça à conquista do hexacampeonato mundial pelo Brasil na Copa de 2014. Não que o Galinho não confie no potencial da equipe do técnico Luiz Felipe Scolari, mas o camisa 10 dos hermanos é visto pelo atual treinador do Al Gharafa, do Catar, como o único craque capaz de ofuscar o brilho da Amarelinha.

“Vejo o Brasil como favorito ao título mundial, principalmente depois da performance na Copa das Confederações — foi tetracampeão após dar um chocolate na Espanha (3 a 0) — e pelo fato de jogar em casa, com o apoio da torcida, mas a Argentina pode tirar o nosso hexa. Muito cuidado com Messi. Ele tem tudo para desequilibrar”, avisa. Zico elogia o fato de Felipão ter devolvido a credibilidade à Seleção e vê Neymar como o fator de desequilíbrio no Mundial: “Ele cresceu muito, desenvolveu seu futebol no Barcelona e pode fazer a diferença.”

Zico pediu atenção com MessiRafael Arantes / Agência O Dia

CHILE SEM BRASUCAS

Os ‘brasileiros’ González (zagueiro do Flamengo), Mena (lateral do Santos) e Valdivia (meia do Palmeiras) não foram convocados por Jorge Sampaoli para o amistoso do Chile com a Costa Rica, dia 22, em Coquimbo, a 452 quilômetros de Santiago. A lista também não conta com Alexis Sánchez (atacante do Barcelona). O treinador não justificou a ausência.
Publicidade
TÁ NAMORANDO!
Quem disse que só os jogadores se dão bem quando o assunto é mulher? Segundo a imprensa francesa, Joseph Blatter, presidente da Fifa, de 77 anos, estaria namorando a empresária armênia Linda Barras, 28 anos mais jovem. Blatter tem em seu currículo três casamentos. O último deles, com Graziella Bianca, terminou em barraco. Ela chegou a chamar Blatter de “psicopata”.
Publicidade
A LENDA DOS PÉS DESCALSOS
o ano era 1948. No torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Londres, uma equipe chamou a atenção. A Índia vendeu muito caro a derrota por 2 a 1 para a França, mas também causou espanto pelo fato de a maioria de seus jogadores atuar sem chuteiras: uns de meião, outros descalços. Passada a competição, a Fifa deu um recado: não aceitaria tal prática caso o país disputasse a Copa do Mundo de 1950.
Publicidade
A Índia nem teve trabalho para se classificar na Ásia. Com a desistência de Birmânia (atual Mianmar), Filipinas e Indonésia, os indianos se viram classificados. Mas a federação local desistiu de ir ao Mundial, que foi realizado com apenas 13 países (Escócia e Turquia também disseram não à Fifa).
Os torcedores culparam a Fifa pela desistência, pois não aceitaria ver jogadores descalços em campo. Pura lenda. <CW-15>A verdade é que, em 1950, uma viagem de navio (ou de avião) do sudeste asiático até o Brasil custaria os olhos da cara. Os organizadores da Copa ainda se comprometeram a pagar as despesas, mas os indianos, gentilmente, recusaram.
Anos depois, em entrevista a um jornal local, o capitão do time, Sailen Manna, entregou o jogo: “Não tínhamos a menor ideia do que era uma Copa do Mundo. Para nós, a Olimpíada era o torneio máximo do futebol”.
Publicidade
Coluna de Alysson Cardinali e Flavio Almeira