Ademir Menezes, o Queixada

Atacante foi um dos maiores jogadores dos anos 40 e 50

Por O Dia

Rio - Um dos maiores jogadores da história do Vasco, Ademir Menezes popularmente conhecido como 'Queixada', dividiu com Zizinho o posto de estrela do futebol brasileiro no fim dos anos 40. O atacante comandou o 'Expresso da Vitória', que acumulou conquistas e era a base da seleção brasileira que jogou (e perdeu para o Uruguai) a Copa do Mundo de 1950. Um mundial que coroou Ademir como artilheiro, com nove gols, mas que representou a única chance do craque vencer uma Copa.

Leônidas da Silva (D) ao lado do atacante Ademir Menezes(E)Agência O Dia

Revelado pelo Sport Recife, o jogador chamou a atenção do Vasco em excursão ao Suedeste e só retornou a Pernambuco para disputar amistosos comemorativos, pois assinou contrato com o clube carioca em 1942. O atacante passou a vida profissional quase inteira no Vasco, com exceção de um breve e vitorioso período no Fluminense, entre 1946 e 1947. Depois de pendurar as chuteiras, foi técnico e comentarista. Ademir morreu em 1996, em decorrência de um câncer.

Curiosidade

Na Copa de 1950, Ademir só não fez chover. Na goleada de 7 a 1 sobre a Suécia, marcou quatro gols (além de dois sobre o México e mais um sobre a Iuguslávia). Diante da Espanha, antes da decisão contra o Uruguai, anotou seus últimos dois gols no mundial. Grande esperança do Brasil, passou em branco na derrota para a Celeste no Maracanã.

Mesmo em boa fase, firou de fora da Copa de 1954, na Suíça, onde a Seleção esteve inteiramente reformulada. Assim deixou a Amarelinha com a marca de 32 gols em 39 partidas e é o nono maior artilheiro da equipe, empatado com Tostão. Pelo Vasco, marcou 301 gols em 429 partidas só fica atrás de Roberto Dinamite e Romário.

Últimas de _legado_Copa do Mundo