Vídeo: Desabrigado há mais de três anos protesta em frente a Granja Comary

Flávio Antônio da Silva cobrou postura diferente do governo

Por O Dia

Rio - Em meio aos treinamentos da Seleção Brasileira de Futebol na Granja Comary, uma tragédia foi relembrada pelo manifestante Flávio Antônio da Silva nesta terça-feira. Vestido com o uniforme do Brasil, ele veio pedir auxílio das autoridades com as vítimas, que estão até hoje desabrigadas, dos desabamentos ocorridos na Região Serrana em 2011. Flávio afirmou que as ações prometidas pelo governo do Estado do Rio de Janeiro ainda não chegaram aos moradores de Teresópolis, mesmo após três anos.

"Eu quero reivindiar os nossos direitos como vítimas da tragédia de 2011. Já se passou três anos e quatro meses e até agora nenhuma casa foi entregue. Agora ele estão querendo fazer política com a gente, querendo entregar 250 casas até setembro. Em um lugar que não tem nem um viaduto. Sem contar que o número inicial eram de 1.600 casas e vão só entregar esse número reduzido. E se entregar nesse local, vai ocorrer uma outra tragédia. Tem várias pessoas: crianças, idosos que atravessam o caminho da casa. Estou aqui para pedir o apoio da Seleção Brasileira para ver se o governo volta atrás desse decreto absurdo que ele criou. Até porque alguns benefícios nossos foram retirados nisso tudo pelo Governo do Estado", afirmou o manifestante.

Com uma camisa do Brasil, metade suja de lama, o manifestante relembrou que apesar de Teresópolis ser a casa da seleção brasileira, ela também é a cidade de muitos desabrigados por conta do ocorrido em 2011. Porém, Flávio admitiu que vai torcer pela equipe canarinho na Copa, mas sem esquecer de voltar a cobrar uma solução dos governantes.

"Dá para torcer para o Brasil, mas o que a gente quer é que o mesmo carinho que eles têm com a Seleção Brasileira, eles tenham também tenham com a gente. Porque nós estamos desamparados, todos nós somos vítimas do desastre e da falta de atuação do poder público", desabafou.


Últimas de _legado_Copa do Mundo