Pé-frio está fora da estreia de Portugal

Com fama de azarado, chef da delegação portuguesa não verá os jogos de Cristiano Ronaldo & Cia. na Copa do Mundo

Por O Dia

Bahia - A seleção de Portugal terá um torcedor a menos nesta segunda-feira em sua estreia contra a Alemanha, na Arena Fonte Nova, em Salvador. E não se trata de um aficionado comum, não, como os fanáticos são chamados nas terras de Além-Mar. O ausente será simplesmente o chef de cozinha da delegação, o premiado Hélio Loureiro. O “responsável gastronômico” da seleção tem receio de que seu pé-frio possa atrapalhar o desempenho do time em campo.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Hélio Loureiro não vai arriscar na Copa do MundoReprodução Internet

A fama nasceu em 2004. Naquele ano, o país foi sede da primeira Eurocopa disputada em seu território. O time comandado por Luiz Felipe Scolari contava com dois dos três maiores jogadores portugueses da sua história: Luís Figo, três anos antes eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa; e um promissor, rápido e marrento atacante que já começava a dar oque falar, Cristiano Ronaldo. O terceiro foi o gigante Eusébio, que entre outros feitos foi o carrasco do Brasil na Copa da Inglaterra, em 1966. Servindo essa gente toda estava Hélio Loureiro. Ele esteve em apenas duas partidas daquela competição. Por uma triste coincidência foram as derrotas para a Grécia. A mais dramática delas na final por 1 x 0, o que soterrou o sonho de milhões de lusos de ver sua seleção conquistar um grande torneio internacional.

“Desde ali o Scolari e todo o time começaram a me chamar de pé-frio. Como não sou supersticioso, nunca liguei para isso. Até o jogo contra a Suécia, na repescagem da última Eliminatória”.

Loureiro admite ter ficado com receio de ser o culpado por um eventual fracasso do time em campo. Saiu do hotel em Estocolmo e foi diretamente para o aeroporto. Como a estratégia deu certo, com a providencial ajuda de Cristiano Ronaldo, que marcou os gols que classificaram Portugal para Copa, ele pretende repeti-la no Brasil.

“Eu não vou ver jogo nenhum. Não vai ser pelo meu pé frio que a nossa seleção vai perder. Mas eles têm que ganhar sempre!”, disse o chef, bom de panela, mas ruim de pé.

Últimas de _legado_Copa do Mundo