Bryan Ruiz debocha do Grupo da Morte: 'Hoje os mortos são os outros'

Treinador e jogadores costarriquenhos vibram com vaga nas oitavas de final do Mundial no Brasil

Por O Dia

Pernambuco - A Costa Rica surpreendeu todos os especialistas e se classificou de forma antecipada no Grupo D da Copa do Mundo, considerado o da 'Morte'. Com três campeões mundiais na chave, o pequeno país do Caribe fez história nos gramados brasileiros e possui grandes chances de passar em primeiro, para as oitavas de final. Bryan Ruiz, autor do gol da vitória diante da Itália, vibrou com o resultado.

Bryan Ruiz é um dos destaques da Costa Rica na Copa do MundoReuters

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

"Estamos aproveitado o momento, nós sofremos e agora eu gostaria de curtir esse momento. Nós sonhamos com isso e conseguimos. Muitos não tinham essa fé. Estávamos no grupo da morte, mas hoje os mortos são os outros. Eu queria agradecer a todos que apoiaram e a todos que acreditaram. Somos um país pequenos, mas está sendo inesquecível", disse o meia Bryan Ruiz.

O treinador, Jorge Luis Pinto, dedicou a vitória ao povo da Costa Rica e ainda agradeceu o apoio dos torcedores que vieram ao Brasil para empurrar o time na Copa do Mundo. Com a vaga garantida para as oitavas de final, o técnico promete mais empenho dos seus comandados na próxima fase.

"Nosso povo merece isso, eles merecem essa vitória. É para eles. Estou feliz, mas ainda falta muito, e tomara que Deus nos leve mais longe. Eu estou muito grato pelo apoio de toda torcida", comentou o treinador Jorge Luis Pinto.

Com grande atuação contra a Itália, o goleiro Keylor Navas foi mais um 'orgulhoso'. O arqueiro parabenizou seus companheiros de equipe por terem sobrevivido ao Grupo da Morte.

LEIA MAIS: Confira como foi a vitória da Costa Rica diante da Itália

"Nós tivemos uma excelente desempenho, quando chegamos ninguém nos conhecia ou dava confiança. Mas hoje conseguimos esse sonho. Todos diziam do grupo da morte, mas estamos aqui vivos, viemos defender nosso país, nossa família e estamos na próxima fase", disse o goleiro Keylor Navas.

Herói no primeiro jogo, contra o Uruguai, Joel Campbell afastou a alcunha de 'zebra' e considera que a classificação é o seu maior momento na carreira. O meia, pertence ao Arsenal e estava emprestado ao Olympiacos, da Grécia. O treinador do clube londrino, Arsène Wenger, já disse que contará com o costarriquenho na pré-temporada.

"As pessoas falavam que éramos zebra, mas provamos que somos uma boa equipe quando nós entramos em campo e provamos isso. Estar no grupo da morte com três campeões e se classificar é um grande momento da minha carreira", disse Joel Campbell.

Outro jogador que ajudou a Costa Rica, foi o meia Christian Bolaños. Mesmo sendo veterano, de 30 anos, e com passagens por clubes da Europa, o atleta não sabe explicar como o seu time passou para as oitavas de final.

"Não sei explicar, não sei o que está acontecendo. Isso é o futebol. Nós estamos fazendo história no Brasil. Queremos dedicar isso aos costarriquenhos, ninguém nem sabia da nossa existência e todos nos conhecem agora. Nunca tivemos medo dos adversários", concluiu Christian Bolaños.

Últimas de _legado_Copa do Mundo