Por rafael.arantes

Rio - Paulinho ou Fernandinho? Essa é a pergunta que continua sem resposta na Granja Comary. Felipão ainda não confirmou quem deve entrar ao lado de Luiz Gustavo no meio de campo do Brasil nas oitavas de final, contra o Chile, sábado, no Mineirão, e o camisa 17 também é outro a fugir do questionamento. Segundo ele, qualquer um dos companheiros estará pronto para fazer um bom trabalho ao seu lado.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

"Nós somos 23 jogadores escolhidos para estar aqui nesse momento e todos têm qualidade. Para mim não tem diferença alguma pois tenho que seguir minhas caraterísticas como o Felipão pede. Todo mundo está sempre ciente do que sempre precisa ser feito e não muda nada sendo um ou outro", disse.

Sobre o duelo das oitavas de final, Luiz Gustavo também é sucinto. O volante elogiou os rivais, mas revelou que só teve contato com um dos adversários durante a carreira.

"O Chile tem grande jogadores. Eu só joguei contra o Vidal no tempo em que ele atuava na Alemanha", completou.

A partida entre Brasil e Chile acontece às 13h de sábado, no Mineirão.

Luiz Gustavo não escolhe companheiro no meio de campoDivulgação

Sem olhar para o passado

Tem muita coisa que eu nem vivi e não costumo pensar nessas coisas. Costumo mirar o que eu vou pegar pela frente. O que passou, passou, agora é uma nova história. Tudo é possível.

Adaptação ao horário da partida

Eu, particularmente, ainda não joguei nenhuma partida nesse horário. Mas, para mim, é mais tranquilo pois costumo acordar cedo. Mas é realmente um horário bem atípico e temos de nos adaptar para estarmos 100% na partida.

Objetivo da Seleção

Costumo falar que todo jogo nós temos de evoluir de uma forma ou de outra. Sabemos que teremos um novo adversário e com muita qualidade. Tratando-se de Copa do Mundo você tem de estar sempre buscando o melhor. Sabemos a qualidade do Chile e vamos nos preparar da melhor forma para buscar a vitória.

Cartão amarelo não preocupa

Nós temos um jogo no qual tudo pode se decidir. Estou pensando só nessa partida e vou fazer tudo que tenho de fazer. Não terei receio algum e se acontecer de receber o cartão estou tranquilo pois sei que temos outros jogadores de muita qualidade que também podem fazer bonito.

Dificuldade de enfrentar sul-americanos

É difícil falar se é pior ou melhor. Acredito que nessa fase de mata-mata não importa o adversário. Todas as equipes são de grande qualidade. Então temos de nos concentrar e fazer o que tem de ser feito
porque só assim vamos estar preparados sempre.

Fair-play

Acho que o futebol tem de ser jogado com honestidade e respeito. É claro que todo mundo quer ganhar, mas não podemos ultrapassar os princípios de cada um. Ninguém quer machucar alguém ou fazer o outro sair prejudicado, pelo menos da minha parte. No geral todo mundo pensa muito na integridade física do adversário e dos outros jogadores.

Meio-campo ativo

O futebol mundial é intenso. Quando se tem adversários como são as seleções desse Mundial é preciso ainda mais atenção. Precisamos ter sempre chances de gols e proporcionar dificuldades ao adversário.

Rotina longe dos holofotes

Trato isso de pouco assédio muito naturalmente. Eu preciso e gosto da minha privacidade. Gosto de viver minha vida desse jeito: tranquilamente. Como já falei várias vezes, respeito e não tenho problema algum com isso caso acontece.

Foco total

Nós sabemos bem o que temos pela frente. Todo mundo é bem consciente de que se trata de uma fase decisiva e que vamos jogar contra uma grande equipe, então temos de ter toda tranquilidade e estarmos totalmente focados em jogar futebol.

Visita das crianças

Olhamos aquelas crianças (vítimas de enchentes de Teresópolis) e se ninguém tivesse dito o que elas tinham passado não imaginaríamos. Isso é uma coisa que nos motiva ainda mais e mostra o quanto somos privilegiados de ter alguns detalhes a mais. Essas coisas eu levo para minha vida porque me fortalece muito. Ter esse momento é sempre muito bom e especial.

Você pode gostar