Por pedro.logato

Paraná - Com a vantagem do empate, a Argélia entra na Arena da Baixada, nesta quinta-feira, às 17h, para definir contra a Rússia a última vaga nas oitavas de final, o que seria uma façanha inédita para a seleção árabe. Já classificada, como líder do Grupo H, a Bélgica enfrenta uma Coreia do Sul que busca um milagre para sobreviver.

Rússia tenta evitar eliminação na primeira faseReuters

Vahid Halilhodzic, o técnico bósnio da Argélia, deve manter no time o atacante Slimani, que foi o destaque na goleada de 4 a 2 sobre os sul-coreanos, domingo passado, no Beira-Rio, dando ao país sua primeira vitória no Mundial. O jogador, que atua no Sporting, de Lisboa, substituiu Soudani, fez um gol e deu passes para outros dois. Outro que está confirmado é o habilidoso meia Feghouli, articulador das jogadas de contra-ataque do time.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Já à Rússia, que tem apenas um ponto ganho — do empate em 1 a 1 com a Coreia do Sul, na primeira rodada —, só a vitória interessa. O técnico italiano Fabio Capello deve manter a mesma escalação que usou nos dois primeiros jogos, apesar da escassez de gols e de ter perdido por 1 a 0 para a Bélgica, domingo passado, no Maracanã, numa partida pouco inspirada, em que as duas equipes foram vaiadas. Uma eliminação precoce dos russos repercutirá muito mal em casa, já que o país sediará o Mundial de 2018, investiu muito em sua seleção e acreditou ter enviado ao Brasil uma equipe capaz de ir mais longe, num grupo considerado fraco.

VEJA MAIS: Confira a tabela e a classificação da Copa do Mundo

A imprensa russa criticou Capello por não efetivar o meia Alan Dzagoev e o atacante Alexander Kerzhakov, este último o maior artilheiro da história da seleção, com 26 gols, e o autor do único gol russo no torneio, até agora.

Você pode gostar