Por pedro.logato

Rio - Artilheiro sempre vive sob pressão. Fred, por se cobrar demais e ficar na mira das críticas, sofre em dobro. Mas a maturidade, segundo ele, lhe trouxe a sabedoria para explorar suas melhores características. E uma das mais importantes é crescer nos momentos difíceis. Ciente disso, avisa: está preparado para se destacar no momento em que a competição entra na reta decisiva.

Segundo Fred, o gol marcado contra Camarões foi só o começo. O que lhe dá a certeza de que tudo vai melhorar é seu próprio currículo e o apoio do grupo, além da extrema vontade de engrenar de vez. Enquanto seu primeiro gol na Copa não saía, tratou de pedir aos companheiros que o buscassem mais em campo.

Fred garante foco da Seleção para vencer a CopaDivulgação

“Eu tinha que evoluir e essa cobrança ficou bem forte em mim. Procurei fazer algo diferente: mesmo marcado, eles tentavam me explorar para que eu participasse mais do jogo. Não é fácil defender 200 milhões de pessoas e ainda a sua família”, disse.

LEIA MAIS: A tabela e a classificação da Copa do Mundo

Fred está animado por jogar de novo no Mineirão, onde considera seu templo. Lá, sente uma energia única e sabe que terá uma torcida especial: “É diferente quando jogo lá, me dá mais confiança, talvez porque conheça bem os atalhos do campo e ali me sinto em casa.”

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

Questionado, Fred nunca perdeu a confiança. Com personalidade, crê num final feliz, como na Copa das Confederações. Um roteiro com sabor de déjà vu, já que, na campanha da conquista de 2013, ele também ficou sem marcar nos dois primeiros jogos e desencantou no terceiro, com dois gols sobre a Itália. Depois, fez um na semifinal contra o Uruguai e dois na decisão com a Espanha. Fred diz de que o roteiro vai se repetir.

“O final da história vai ser o mesmo da Copa das Confederações: gols, títulos, coisas boas”, garantiu Fred, que sabe como terá que atuar contra o Chile: “Com três zagueiros, eu jogo em cima do jogador que fica na sobra. É mais difícil para marcar a saída de bola, desgasta mais na marcação, mas a gente treinou essa saída.”

Você pode gostar