Por rodrigo.hang

Rio - O ex-jogador Iván Zamorano considera que o "Brasil é a pedra no sapato" do Chile, mas confia que a seleção comandada por Jorge Sampaoli manterá o estilo que mostrou na fase de grupos para eliminar os anfitriões.

'Boa oportunidade para deixar a história para trás', diz lateral do Chile

Zamorano diz que Chile não pode mudar o estilo de jogo na partida contra o BrasilReuters

"Não podemos ir contra o que o Chile fez na fase de grupos. É uma equipe que tem identidade e filosofia", declarou Zamorano em uma entrevista à Fifa ao falar do rival que tirou o Chile de três Copas desde 1962.

O ex-jogador do Real Madrid e da Inter de Milão evocou sua experiência como símbolo do Chile ao lado de Marcelo Salas no Mundial da França de 1998, quando foram eliminados ao perder por 4 a 1 do Brasil de Ronaldo, Rivaldo, Cafu e Roberto Carlos.

Sampaoli confirma Vidal e mantém Medel como dúvida do Chile contra o Brasil

"Brasileiros e chilenos de antes éramos muito diferentes. Para o Chile, hoje, se trata de um compromisso absoluto. Já deixamos fora o atual campeão do mundo (Espanha) e neste jogo (contra o Brasil) não podemos ir contra o que o Chile fez, tomando alguns cuidados de ordem tática", comentou.

Ronaldo e Zamorano em ação nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1998Arquivo

Como elemento adicional a favor do Chile, Zamorano ressaltou que todos os melhores jogadores do Chile "estão recuperados, em perfeitas condições". Além disso, considerou que o Brasil "foi discreto na primeira fase" e "só a magia de um grande Neymar pôde fazer a diferença".

>>> LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Para Zamorano, a derrota de 2 a 0 perante Holanda no último jogo da fase de grupos "ocorreu no momento justo" para o Chile encarar o desafio nas oitavas de final porque, em sua opinião, se aprende mais nos erros que nas vitórias.

Você pode gostar