Por pedro.logato

Minas Gerais - A comissão técnica do Chile acusou Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da CBF, de ter dado um soco no rosto do atacante Mauricio Pinilla no intervalo da partida contra o Brasil, neste sábado, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O incidente teria acontecido após a saída de campo das duas equipes e seria motivado por uma discussão entre o zagueiro Gonzalo Jara e o atacante Fred.

Rodrigo Paiva se envolveu em polêmica Divulgação

“Aconteceu de tudo. Aquele negócio que a gente já está acostumado. Eles sempre provocam”, disse Paiva, sem admitir se de fato deu um soco em Pinilla.

Maria José Vasconcelos, assessora de imprensa da Federação Chilena, disse que há vídeos da agressão. Nenhum representante da Fifa no Mineirão confirma.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Os jogadores da seleção brasileira admitiram na zona mista do Mineirão que a situação foi feia. Paiva comentou.

“Eu lembro que contra a Turquia, em 2002, foi a mesma coisa. Teve empurrão, chute, voadora...", disse, reconhecendo depois que “voadora” foi força de expressão.

O assessor da CBF acusou Sebástian Beccacece, assistente técnico de Jorge Sampaoli, de ter provocado o tumulto. Beccacece e Felipão discutiram muito à beira do campo.

"Eu não falo sobre o que aconteceu no intervalo. Apenas sobre o jogo", disse Beccacece.

Reportagem de Bruno Winckler

Você pode gostar