Mexicanos admitem relaxamento com placar a favor e detonam arbitragem

Abatidos com a eliminação para a Holanda nas oitavas de final, jogadores da seleção criticaram o árbitro Pedro Proença por marcar pênalti decisivo no fim do jogo

Por O Dia

Ceará - O México recuou cedo demais e não soube aproveitar a vantagem no placar para superar a Holanda e chegar às quartas de final da Copa do Mundo. Essa é a avaliação dos jogadores da seleção após a derrota de virada por 2 a 1 no Castelão, que sacramentou a sexta eliminação consecutiva nas oitavas dos latino-americanos no torneio.

Abatido, o meia Andrés Guardado destacou o recuo precipitado e avaliou que o gol de empate saiu de uma desatenção defensiva. "Muita frustração, muita tristeza, estivemos muito perto mas a vaga escapou. Saio muito triste porque fizemos grandes partidas e cair dessa forma é muito triste. Não há palavras, mas agora é hora de poupar as energias, animar os companheiros e tratar de ficar com a cabeça erguida. Queríamos ganhar e seguir avançando", avaliou Guardado após o jogo.

Guardado reclamou da arbitragemReuters

A substituição de Giovani dos Santos pelo volante Aquino, 13 minutos após o atacante anotar o gol mexicano no Castelão, não foi vista como equivocada por Guardado. "Foi falta de atenção, eles são muito bons. Não tivemos muita iniciativa e no fim nos defendemos demais. As duas equipes se respeitaram muito. Não acho (que o técnico Miguel Herrera mexeu mal no time), é bobagem. Perdemos, mas não foi por causa de substituições", avaliou.

LEIA MAIS: A tabela e a classificação da Copa do Mundo

"Tínhamos a vaga nas mãos, fazíamos um bom trabalho e a equipe estava melhor fisicamente do que eles. Em um escanteio a bola sobrou para Sneijder. Sobre o pênalti não há o que falar, Neste Mundial a arbitragem já nos prejudicou na primeira partida (contra Camarões). Sempre se apita de forma diferente para as equipes com mais nome na Fifa", afirmou Giovani dos Santos, disparando contra o árbitro português Pedro Proença.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

"A equipe, inconscientemente com o resultado a favor e as substituições, foi um pouco para trás. Estávamos controlando bem a partida e perdemos a posse de bola, algo que estávamos fazendo bem. Contra equipes dessa qualidade é sempre arriscado apostar numa vantagem e recuar. O esforço físico do nosso time foi incrível, mas num golpe de sorte perdemos", completou Giovani, já com outra visão sobre a alteração de Herrera no segundo tempo.

O atacante do Villarreal, porém, defende a permanência de Miguel Herrera após a Copa do Mundo, algo que a Federação Mexicana de Futebol já negocia. "Creio que ele deu novo ânimo aos jogadores. A seleção tem uma ótima imagem hoje, se não é melhor se colocou no mesmo nível de grandes potências e é claro que ele tem a confiança da federação", disse Giovani dos Santos.

Últimas de _legado_Copa do Mundo