Sabella enaltece goleiro vilão e evita fazer projeção de duelo com o Brasil

Criticado por boa parte da imprensa argentina, Sergio Romero teve sua atuação elogiada pelo treinador da Argentina, que nem quer ouvir falar em final contra a seleção brasileira

Por O Dia

São Paulo - Sempre que se falava no favoritismo da seleção da Argentina para brigar pelo título da Copa do Mundo, um ponto aparecia para colocar em dúvida esta tese: a pouca confiança passada pelo goleiro Sergio Romero. Criticado por parte da imprensa, que não o enxerga como a melhor opção para a posição. Mas ao menos na opinião do técnico Alejandro Sabella, seu camisa 1 teve uma participação importante na classificação para as quartas de final.

Argentina sofre, mas vence a Suíça no fim da prorrogação e avança às quartas

Sabella comemora classificação argentina para as quartas de final da Copa do MundoReuters

Sabella comemora classificação, mas pede cautela: 'Vamos nos recuperar'

“Para você conseguir uma classificação como tivemos hoje, é necessário não depender apenas de um grande jogador como Messi. Outros tiveram uma atuação excelente e um deles foi Sergio, que fez grandes defesas ao longo do jogo”, disse Sabella, em relação ao seu goleiro, que defende o Monaco, da França, e já soma 51 partidas com a camisa da Argentina.

Parte do temor dos argentinos em relação ao seu goleiro aconteceu ainda no tempo normal, quando ao tentar fazer uma defesa, acabou se atrapalhando diante do atacante da Suíça e por pouco não acabou caindo com a bola fora da área. Só que ele acabou compensando com quatro importantes defesas que impediram o gol suíço.

Final dos sonhos?

Se a partida desta terça-feira serviu como uma redenção ao criticado Romero, Alejandro Sabella não quis saber de fazer uma projeção, agora com a vaga das quartas de final, sobre uma possível final com a seleção brasileira, no próximo dia 13 de julho.

>>> LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

“De forma alguma, isso não passa pela minha cabeça ainda. Primeiro, temos que trabalhar duro para chegar às semifinais e depois à final. Nesta Copa diversos campeões ficaram pelo caminho, como Itália, Espanha e Inglaterra, que não podemos ficar fazendo planos antecipados. Cada coisa a seu tempo”, concluiu Sabella.

Últimas de _legado_Copa do Mundo