‘Manto’ fica na gaveta e alemães jogam de branco

Mandante, França jogará de azul e frustra a torcida do Fla

Por O Dia

Rio - O sucesso do uniforme rubro-negro da Alemanha é indiscutível. Numa ousada estratégia de marketing da Adidas e da Federação Alemã, o Flamengo foi a inspiração para a camisa que virou febre e chegou a esgotar durante semanas em lojas de todo o Brasil. No entanto, não será contra a França que a ‘Nação’ terá a chance de ver a seleção germânica com as cores do clube.

Mandante, os Les Bleus, como sugere o apelido, jogarão com o tradicional uniforme azul. Enquanto a Alemanha, de branco. Apesar da frustração de muitos torcedores do Flamengo, a Adidas comemora os números. Entre as seleções vestidas pela empresa, a Alemanha é a campeã de venda e com direito a quebra de recorde de mais de 2 milhões de unidades, 30% a mais que a marca anterior registrada em 2006: 1,5 milhões.

Alemanha não vai atuar com camisa rubro-negraCarlos Moraes

E o torcedor brasileiro, em especial o do Flamengo, contribuiu para o crescimento da empresa alemã. A estimativa é de que mais de 500 mil camisas (rubro-negra e branca) foram vendidas no país pelo preço de R$ 199,00.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

A Alemanha estreou o segundo uniforme contra os Estados Unidos, no Recife. O torcedor do Fla torce pela sua volta ao Maracanã no dia 13 para vê-la com o ‘manto sagrado’.

Gripe preocupa os alemães

Pelo cálculo do técnico Joaquim Löw, um terço da seleção da Alemanha se recupera de um surto de gripe às vésperas da partida contra a França. Sete no total.

A mudança de clima do Nordeste para Porto Alegre, onde a equipe venceu a Argélia, foi sentida. Mas o técnico diz que o quadro melhorou. Desfalque no Beira-Rio pelo mesmo motivo, Hummels teve a volta confirmada na zaga. Sobre a função que Lahm executará — lateral direita ou volante —, Löw fez mistério.

Benzema já marcou três gols na Copa do MundoReuters

Uma França sem medo

Com campanha melhor que o rival, a França chega às quartas de final motivada e sem medo. O confronto do Maracanã contemplará o bom futebol da equipe que sofreu apenas dois gols em quatro jogos e que marcou nove.

“Não temos medo de nada. Estamos cientes de que em uma partida tudo é possível. É sempre possível que seja o último jogo, mas não há medo. É uma alegria enfrentar a Alemanha. Estamos dispostos a vencer”, disse o goleiro Lloris.

Últimas de _legado_Copa do Mundo