Mais Lidas

Thiago Silva lamenta corte de Neymar e aposta em Willian como seu substituto

Capitão diz que colombiano foi imprudente em lance da lesão do atacante e aposta na força do conjunto para a semifinal

Por pedro.logato

Ceará - O capitão da seleção brasileira teve sobriedade para analisar o corte de Neymar da Copa do Mundo. Sem demonstrar descontrole ou apontar culpados pelo lance em que o lateral-direito Camilo Zuñiga, da Colômbia, acertou uma joelhada nas costas do brasileiro, Thiago Silva valorizou os possíveis substitutos de Neymar contra a Alemanha, terça, em Belo Horizonte, na semifinal da Copa do Mundo.

Para o capitão, que também não enfrenta os alemães (mas por estar suspenso), Willian e Bernard podem ser titulares da seleção sem perda de qualidade no time, principalmente o primeiro.

Thiago Silva confia na qualidade de WillianReuters

“Acredito muito no Willian, que basicamente tem as mesmas características e se for o momento dele tenho certeza que ele vai suprir a ausência do Neymar”, disse o zagueiro. “Um cara que vai para cima, obediente na parte tática. E isso é importante. Nesse momento é que a gente mostra a força do grupo, mesmo em grandes dificuldades”, completou.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Willian falou com os jornalistas depois da partida contra a Colômbia sem saber a gravidade do que aconteceu com Neymar. Sobre a possibilidade de jogar, ele foi confiante e disse que pode ser o escolhido. “Neymar é um baita jogador. Uma referência para nosso time, mas sempre estive pronto para qualquer ocasião. Estarei pronto, mas quem decide quem vai jogar é o professor Felipão”, disse Willian.

Willian jogou 39 minutos nesta Copa, sempre entrando no segundo tempo. Enfrentou México, Camarões e Chile. Perdeu um dos pênaltis na disputa contra os chilenos nas oitavas. Substituiu Oscar duas vezes e Neymar uma, contra Camarões. Felipão o vê como reserva imediato de Oscar, mas pode pensar alguma outra variação.

Para Thiago Silva, o momento é de encontrar forças e não lamentar. “É difícil. A gente perde o nosso jogador diferencial. Acredito que um dos mais importantes quando se trata de Copa do Mundo. Mas o grupo tem de ser mais forte que o individual. Temos de estar preparados, independente da ausência”, disse o capitão.

O zagueiro avalia que o lance de Zuñiga é interpretativo. Não sabe se houve maldade, ainda que avalie que ele tenha sido imprudente na jogada. “Neymar é um menino que sonhou tanto com esse momento. Não sei ainda se foi maldade, ou não, mas é impossível tomar uma bola que está na sua frente, na frente do adversário. Não tem como você meter o joelho e você passar por dentro. Mas nesse aspecto, alguns entendem de um jeito, outros de outra”, avaliou.

Reportagem de Bruno Winckler

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia