Por rodrigo.hang

Brasília - Neste sábado, a Argentina venceu a Bélgica por 1 a 0 e avançou para as semifinais da Copa do Mundo de 2014, quebrando um tabu de 24 anos. Responsável por comandar os argentinos, o técnico Alejandro Sabella expôs satisfação e recordou o processo de construção do plantel sul-americano.

Argentina vence a Bélgica, quebra jejum de 24 anos e avança às semifinais

Sabella orienta os jogadores argentinos no jogo contra a BélgicaEfe

Técnico da Argentina quase cai no chão e faz sucesso nas redes sociais

"A vitória de hoje foi a amostra de uma evolução. A equipe foi homenageada com a classificação e, de certa forma, entrou para a história. Porém, queremos algo a mais. Sei que podemos acordar mal em um dia ou apresentar comportamentos diferentes, pois todos somos seres humanos, mas enxergo uma vontade grande no grupo. Vamos encontrar dias táticos, dias que nos exijam raça, porém, o importante é a uniformidade", relatou.

Sabella admite que argentinos 'pensam ser melhores do que são'

Sabella também comentou a saída do meia Di María. O camisa 7 deixou o campo com dores musculares na primeira etapa, onde acabou substituído por Enzo Pérez, e tem sua presença incerta no duelo seguinte.

"É um fato que nos preocupa, certamente. Porém, se ele não puder jogar, analisaremos todas as possibilidades. Temos tempo e elenco para isso", ressaltou.

Você pode gostar