Mais Lidas

Goleada para a Alemanha impõe série de marcas negativas para a Seleção

Placar de 7 a 1 representa a pior derrota da história do país e também o maior vexame de um anfitrião em Copas do Mundo

Por pedro.logato

Minas Gerais - A forma como o sonho de conquista do hexa chegou ao fim impôs uma série de marcas negativas para a seleção brasileira na história das Copas do Mundo. A derrota por 7 a 1 para a Alemanha nesta terça-feira é, de longe, a pior que o país já sofreu na competição em todos os tempos. A anterior havia sido a de 3 a 0 diante da França em 1998, na decisão daquele Mundial.

Mais do que isso: a derrota é a pior de toda a história da seleção brasileira. Isso inclui qualquer jogo já disputado pelo país, seja oficial ou amistoso. O revés mais elástico antes disso tinha sido por 6 a 0 para o Uruguai, no Sul-Americano de 1920.

David Luiz fica desolado no gramado do MineirãoReuters

O placar representa ainda a maior goleada sofrida por um anfitrião de Copa do Mundo. Ironicamente, o Brasil tinha sido o carrasco em dois vexames anteriores de países-sede, já que bateu a Suécia na final de 1958 por 5 a 2 e o Chile na semifinal de 1962 por 4 a 2. Em 1970, o México levou 4 a 1 da Itália, e a África do Sul levou 3 a 0 do Uruguai em 2010.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da Copa do Mundo

Além disso, o Brasil repete algo que só a Suíça tinha feito em Copas: tomar sete gols em uma mesma partida. A diferença é que a derrota dos suíços aconteceu diante da Áustria pelo placar de 7 a 5.

O time comandado por Luiz Felipe Scolari se tornou o terceiro a chegar ao intervalo de uma partida de Copa do Mundo perdendo por cinco gols. Os outros dois foram o Zaire e o Haiti, ambos em 1974. Na verdade, esses cinco gols foram levados antes dos 29 minutos de jogo. Nunca uma equipe teve a defesa vazada tantas vezes tão cedo assim em uma Copa.

O placar final acabou sendo a maior goleada em uma semifinal do Mundial. As piores derrotas antes disso tinham acontecido por 6 a 1, placar registrado três vezes. Duas em 1930, quando Uruguai e Argentina bateram Iugoslávia e EUA, respectivamente, e em 1954, ano em que a Alemanha passou sobre a Áustria.

A eliminação também fez com que o Brasil deixasse de ir à decisão de uma competição que disputou em casa, incluindo também Copa América e Copa das Confederações.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia