Parreira isenta CBF e diz que problema do futebol brasileiro está nos clubes

Ex-coordenador-técnico da seleção volta a elogiar trabalho de preparação para a Copa do Mundo e afirma que formação de jogadores é de responsabilidade dos times brasileiros

Por O Dia

Rio - Carlos Alberto Parreira afirmou antes daCopa do Mundo que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) é "o Brasil que deu certo". Nesta terça-feira, o agora ex-coordenador-técnico da seleção brasileiranão repetiu as palavras, mas refroçou seu pensamento. Para ele, não houve erros na preparação da equipe de Luiz Felipe Scolari para o Mundial. E, questionado sobre o problema de formação de atletas, disse que isso é obrigação dos clubes.

CBF anuncia de forma oficial a saída de Felipão do comando da Seleção

“Quase todos que ganharam saíram no dia seguinte. Se ganha, sai; se perde, nem se fala. Não houve nenhum tipo de constrangimento, expectativa ou surpresa. Era um fato esperado”, disse, em entrevista à ESPN Brasil, Parreira sobre a demissão de Scolari e de toda a comissão técnica.

Parreira se irrita com pergunta se os técnicos brasileiros estão ultrapassadosDivulgação

“Não faço mais parte da CBF, então não estou aqui para defender ninguém. Mas eu acho que a gente deveria olhar o que foi feito de planejamento. Os jogadores receberam todo o apoio. A Granja Comary foi totalmente reconstruída, é a melhor concentração do futebol mundial. Eu acho que a CBF não é formadora de jogadores. Ela monta a comissão técnica e dá todo o apoio. Foi feito mais uma vez”, prosseguiu o ex-técnico.

Parreira define eliminação da Seleção no Mundial: 'Seis minutos de pesadelo'

Parreira se irritou quando foi questionado sobre esse apoio da CBF. Perguntado se o Brasil não poderia estar mais preparado para os desafios no Mundial, o ex-coordenador-técnico fez questão de exaltar que a equipe não sofreu com lesões antes da competição.

“Esse assunto já foi esgotado. O Felipão já falou, os preparadores físicos já comentaram. Eu acho que foi adequado. Não tivemos casos de contusões, foi controlado. O problema é que perdeu. E quando se perde começam a criar um monte de problemas. Houve preocupação sim com a manutenção da forma pra evitar contusões. O Brasil foi uma das que não teve problema de contusão, a não ser o caso do Neymar”, afirmou Parreira, que não gostou da insistência do repórter no assunto.

“Você me convidou para conversar e achei que a gente fosse conversar em alto nível. Esses assuntos, se jogou bem ou mal, já estão ultrapassados. Vamos discutir o futuro. O que aconteceu o Felipão já cansou de falar, a comissãotécnica, os jogadores. Vamos pensar para o futuro para que não ocorra mais. O Brasil está indo para a terceira Copa sem ganhar, a Alemanha estava há 24 anos, a Argentina, 28. Fica muito claro que não é fácil ganhar uma Copa do Mundo e qualquer equipe pode passar por uma entressafra muito grande”, prosseguiu o treinador do tetra.

Parreira avalia o Brasil: 'Todo mundo consciente de que tem que melhorar'

O assunto, então, passou a ser formação de jogadores. Para Parreira, é um problema que os atletas saiam muito jovens do Brasil para atual no exterior. Isso, no entanto, é responsabilidade dos clubes, na opinião doex-funcionário da CBF.

“Nós não estamos formando jogadores com a mesma velocidade que a gente formava dez, 15, 20 anos atrás. Alguma coisa está acontecendo. O Fernandinho deu uma declaração dizendo que os jogadores estão sendo formados no exterior. Ele sai daqui muito cedo, complementa a formação no exterior e fica um negócio meio difuso. Jogador brasileiro, mas formação europeia. A gente está formando jogador lá fora quando deveríamos estar formando aqui no Brasil”, analisou Parreira.

“A CBF não é formadora de jogadores. Quem forma o jogador é o clube. Então a CBF tem que incentivar, talvez, os clubes. Clubes fortes, futebol forte. Mas a CBF não forma jogador. A CBF recebe o jogador do clube, organiza-os para competir em competições sub 20, sub 17 e até mesmo a Copa do Mundo. O núcleo é o clube. Nós temos que fazer de tudo para que tenhamos clubes fortes, clubes formadores de jogadores. Aí a CBF dá todo o apoio, como deu agora à seleção principal, como tem dado à seleções sub 20, sub 17. Mas é importante que eles cheguem preparados na CBF. A CBF não forma e não prepara jogador. Vamos deixar muito claro isso”, disse o ex-técnico.

Parreira voltou a se irritar quando foi perguntado se os treinadores brasileiros estão desatualizados. Embora tenha discordado, ele admitiu que o País precisa de mais profissionais capacitados para auxiliar na formação de jovens talentos.

LEIA MAIS: Notícias e bastidores da seleção brasileira na Copa do Mundo

“Sempre que a seleção brasileira perde uma Copa do Mundo esse assunto volta a tona, que os técnicos brasileiros estão desatualizados. Vamos lá, o time da Argentina que chegou à final, o que foi que ele apresentou em termos táticos de novo. Me responda. Não é novidade. Isso não é novidade. Se você pergunta que está desatualizado, diga o que foi que a Argentina apresentou de novo? O que a Alemanha apresentou, em termos táticos, de novo? Apresentou, assim, um time formado há dez anos, grupo experiente e tecnicamente muito bom. Nesses dez anos o técnico Joachim Löw nunca disputou uma final de competição. Foi a primeira e o primeiro título em dez anos”, disse Parreira.

“Tudo isso é questão de trabalho. Sou favorável que a CBF faça o esforço que está fazendo. Precisamos ter no Brasil muitos técnicos bem capacitados para que a gente melhore as condições nas categorias de base. E que os clubes invistam nas divisões de base, dando estruturas e condições de trabalho. Só então voltaremos a formar, em casa, os jogadores. Não tem outra solução. É simples e muito pragmática”, finalizou o ex-treinador.

Últimas de _legado_Copa do Mundo