Paixão dos anfitriões: Espanha ganha recado da verdadeira 'Fúria Carioca'

Apelidada de Furiosa, bateria do Salgueiro é apresentada à coincidência com seleção espanhola e vê mestre arriscar comparação com o objetivo de virar a 'Espanha da Sapucaí'

Por O Dia

Rio - Se os badalados espanhóis já estão no Rio para a disputa de sua segunda partida pela Copa das Confederações, os anfitriões não deixariam passar a oportunidade de mostrar um pouco de uma das paixões dos cariocas. Se a favorita para o título do torneio guarda na essência o codinome 'Fúria', no Rio, a potência fica por conta da bateria do Salgueiro, a Furiosa.

Fúria e Furiosa: Seleção e bateria de escola de samba possuem coicidência em codinomeArte: O Dia Online

Ciente a coicidência no apelido, mestre Marcão, comandante da bateria salgueirense, não poupou as palavras para comentar o fato e fazer, inclusive, uma análise comparativa bastante inusitada. De acordo com o sambista, o esforço em prol do trabalho na Avenida tem como objetivo o mesmo pensamento da galera dos gramados.

"Comparar futebol e Carnaval é até engraçado. É quase a mesma coisa não é? Tem que haver a raça e a vontade de vencer. Eles são os atuais campeões do mundo e a gente está galgando nosso espaço, mostrando um trabalho digno. Quem sabe não nos tornamos a Espanha da Sapucaí (risos)", brincou Marcão, que também comentou a tradição do apelido de sua bateria.

"Não sei como foi lá, mas esse nosso nome 'Furiosa' existe desde o tempo que os desfiles eram na Av. Presidente Vargas. Meu pai ainda era o mestre e sempre resgatava esse apelido, comigo não foi diferente", acrescentou, descartando ter como razão a cor vermelha, motivo pelo qual a Espanha possui o codinome 'Fúria'.

Fàbregas curte a vista do hotel em São Conrado, Zona Sul do RioCarlos Moraes / Agência O Dia

Brasil x Espanha? Torcida para amigos especiais
Padrinho de casamento do atacante Jô e amigo pessoal de Paulo Paixão, que integra a bateria do Salgueiro, o mestre aposta na sinceridade ao projetar uma possível final entre Brasil e Espanha na Copa das Confederações. Contudo, mesmo assumindo o pé atrás sobre o desempenho da seleção brasileira, o sambista não escondeu a total torcida pela equipe de Felipão e, principalmente, pelos amigos mais que especiais.

"Para falar a verdade, ainda tenho minhas dúvidas para pensar nesta final. Mas vou seguir na torcida, tenho grandes amigos lá. O Paulo Paixão desfila conosco aqui na bateria e o Jô está sempre por aqui, sou padrinho de casamento dele. Se acontecer mesmo esta final, não vai ter jeito. Sou brasileiro, sou mais Brasil", concluiu o mestre.

Nesta quinta-feira, a Espanha vai a campo para enfrentar o Taiti num dos maiores xodós da Cidade Maravilhosa. O duelo vai ocorrer às 16h, no Maracanã, estádio que foi palco de diversos momentos marcantes do futebol. No entanto, pelo lado dos sambistas o recado é diferente. Com a presença de mestre Marcão vestindo a camisa espanhola, os ritmistas da Bateria Furiosa deixaram em homenagem aos atletas um pouco de sua arte. Confira:


Últimas de _legado_Copa das Confederações