Por rafael.arantes

Recife - Capitão da seleção uruguaia, o zagueiro Diego Lugano reconheceu que a 'Celeste' ainda não pode ser considerada uma potência do futebol mundial, mas exaltou o trabalho que vem sendo feito nos últimos anos para reerguer a bicampeã mundial após décadas no ostracismo.

"Por muitos fatores, o futebol uruguaio não pode ser considerado uma potência em nível mundial, mas a seleção está recuperando seu futebol e seu melhor nível", destacou Lugano.

A 'Celeste' estreou no grupo B Copa das Confederações com uma derrota para a Espanha no último domingo e na última quinta-feira se viu obrigada a vencer a Nigéria. Em um jogo difícil na Arena Fonte Nova, a equipe de Óscar Tabárez conseguiu levar a melhor pelo placar de 2 a 1 e deu um passo importante rumo às semifinais.

"Como não nos consideramos da elite do futebol, a nós uruguaios, tudo nos custa um pouco mais e se faz mais difícil, mas ao mesmo tempo isso te dá muita motivação, muito espírito. Este elenco tem garra de sobra e acho que demonstrou isso mais de uma vez", enalteceu o capitão do Uruguai.

Zagueiro gostou de atitude dos companheirosAndré Mourão / Agência O Dia

O duelo contra o campeão africano não foi o único que representou uma recuperação. Em quinto lugar nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, a seleção uruguaia acumulou seis partidas sem derrotas até vencer a Venezuela por 1 a 0 no último dia 11 e voltar a zona de repescagem.

"Recuperar-se depois dos últimos resultados ruins, que foram muitos, foi difícil. Ninguém esperava uma sequência tão negativa, mas às vezes acontece. Agora estamos voltando ao bom futebol que a equipe pode ter e isso nos deixa muito felizes", acrescentou o ex-jogador do São Paulo, que atualmente defende o Málaga.

Na opinião do defensor, o quarto lugar na última Copa, na África do Sul, e o título da Copa América de 2011 mostram que a 'Celeste' está pronta para fazer frente às principais seleções do mundo. "Podemos competir em alto nível e jogar de igual para igual contra seleções como Espanha, Brasil e Itália.

Queremos continuar deixando no alto o prestígio da camisa do Uruguai, que tem uma história tão rica e bem-sucedida", considerou. Lugano também falou sobre o atacante Diego Forlán, que completou 100 jogos pela seleção e fez o gol da vitória sobre a Nigéria por 2 a 1. O zagueiro se disse honrado por dividir o vestiário com o atleta do Internacional e espera que, embora já tenha 34 anos, o melhor jogador da última Copa ainda continue em ação por algum tempo.

"Diego (Forlán) é um jogador diferente e sem dúvida tem um lugar reservado entre os maiores de toda a história do futebol uruguaio. E olha que tivemos muitos bons jogadores no passado. Ele foi fundamental em todo o processo da seleção nos últimos sete anos, e tomara que possamos continuar contando com seu futebol por mais um bom tempo", elogiou.

Forlán foi homenageado pela Associação Uruguaia de Futebol (AUF), que nesta sexta divulgou em seu site um vídeo com um resumo de suas 100 partidas com a camisa celeste e alguns de seus 34 gols.

Você pode gostar