Por fabio.klotz

Ceará - A Espanha deu mais uma prova de seu futebol-arte e de sua força. O primeiro gol na vitória por 3 a 0 sobre a Nigéria, neste domingo, no Castelão, é um retrato da supremacia da atual campeã do mundo e europeia: troca de passe até a bola chegar em Jordi Alba. Favorita, a Fúria encerra a primeira fase com três vitórias e agora vai encarar a Itália, na quinta-feira, em Fortaleza, pela semifinal da Copa das Confederações.

Jordi Alba brilhou ao marcar duas vezesErnesto Carriço / Agência O Dia

A Nigéria se despede da competição com uma vitória (sobre o Taiti) e duas derrotas (também perdeu para o Uruguai). O time africano lutou e chegou a fazer frente à Espanha em alguns momentos, mas faltou qualidade, sobretudo na hora de fazer gol.

O JOGO

A Espanha não demorou a mostrar seu talento. Logo aos dois minutos, Iniesta passou pela zaga e obrigou Eneyama a salvar. A Fúria abriu o placar um minuto depois. E à la Espanha, com troca de passe. A jogada começou pela direita e de pé em pé chegou a Jordi Alba, pela esquerda. O lateral passou três e fez 1 a 0.

A Nigéria assustou com Mba, mas Valdés salvou a Espanha. A resposta foi com Soldado, que ficou cara a cara com o goleiro nigeriano, mas chutou em cima de Eneyama. O jogo ficou aberto. Valdés defendeu cabeçada de Akpala. Depois, novamente Soldado apareceu livre e de novo emendou em cima de Eneyama.

A Espanha, com mais posse de bola, como sempre, quase aumentou com Fàbregas, mas o chute do craque do Barcelona parou na trave e voltou para os braços de Eneyama.

O ritmo do segundo tempo foi mais lento, perfeito para a Espanha tocar a bola. Fernando Torres, que entrou na vaga de Soldado, ampliou. Em jogada pela esquerda, Pedro cruzou e o atacante completou de peixinho: 2 a 0. Foi o quinto gol de Torres na Copa das Confederações.

A Nigéria teve chance de diminuir. Muhammad entrou livre na área, mas chutou para fora. A torcida brasileira já cantava "Espanha, pode esperar, a sua hora vai chegar", em alusão a uma possível final, quando Jordi Alba ampliou. Ele ficou cara a cara com Eneyama, driblou o goleiro e fez 3 a 0. Mais uma vitória tranquila e com o talento da Espanha.

Você pode gostar