Por fabio.klotz

Rio - No sábado, horas antes da vitória do Brasil sobre a Itália, Ronaldo resolveu conversar com jornalistas em Salvador e abordou diversos assuntos relacionados à organização da Copa das Confederações e Copa do Mundo do ano que vem. Um dos temas foi o ex-jogador e atual deputado federal Romário, um dos maiores críticos aos eventos organizados pela Fifa e pelo COL

Romário ainda cobra ingressos prometidos para pessoas com deficiência de baixa rendaDivulgação

Questionado sobre o assunto, Ronaldo deu sua opinião. "Não tenho absolutamente nada para falar do Romário. Mas eu vejo agora, não é o caso do Romário, mas vejo muita gente se aproveitando para tirar proveito do momento e ganhar uma medalhinha, dizer que é o pai da criança. Este é um momento de reflexão. De pensar soluções para melhorar o Brasil e não só apontando o dedo para fulano e ciclano, sendo que o Brasil precisa de mudanças. Gostaria de mudar, mas não tenho cargo publico e não sou político".

Diante das declarações de Ronaldo, o deputado Romário usou sua página no Facebook para mandar uma carta aberta ao também ex-atacante da seleção brasileira. Nela, o Baixinho rebateu a entrevista do Fenônemo.

"Se tem alguém se aproveitando dessa situação de indignação popular, certamente, não sou eu. Desde 2011, quando assumi meu mandato, tenho me informado sobre tudo que acontece no Brasil na área de esporte para contribuir com minha experiência", disse.

Romário ainda disparou no seu texto. "Para finalizar, parceiro, não é só governo que contribui com o bem da população de seu país, empresários e cidadãos bem-intencionados também compartilham desta inestimável generosidade", falou o deputado.

Leia na íntegra a carta aberta a Ronaldo:

"Ronaldo, meu camarada

Se tem alguém se aproveitando dessa situação de indignação popular, certamente, não sou eu. Desde 2011, quando assumi meu mandato, tenho me informado sobre tudo que acontece no Brasil na área de esporte para contribuir com minha experiência. O primeiro impacto negativo que tive foi a Lei Geral da Copa, que dava poderes excessivos à Fifa. Trabalhei com outros deputados para tornar aquele texto mais favorável ao Brasil. Em um dos artigos, por exemplo, sugeri que a Fifa deixasse no Brasil 10% do seu lucro, de R$ 4 bilhões, para investimento no futebol de base e outros esportes praticados por pessoas com deficiência. Entre outros projetos que você, certamente, pode conferir posteriormente.

Como você também deve saber, estou tentando instalar um CPI da CBF na Câmara, para que possamos pôr fim aos desmandos daquela instituição e resgatar a verdadeira função do futebol, que é fortalecer este esporte tão amado por mim, por você e por milhões de brasileiros.

Uma coisa que você não deve saber é que uma das funções de deputado é fiscalizar, além da CBF, entidades como a que você faz parte, o Comitê Organizador Local (COL). E ninguém pode dizer que não tenho feito isso. São incontáveis os relatórios divulgados por mim sobre o excesso de gastos. Visitei TODAS as cidades-sedes para fiscalizar obras de mobilidade, aeroportos, estádios e acessibilidade. Minha função não permite ações mais efetivas, fica a cargo do Executivo dar a canetada final.

Para finalizar, parceiro, não é só governo que contribui com o bem da população de seu país, empresários e cidadãos bem-intencionados também compartilham desta inestimável generosidade.

Aliás, nós da Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência ainda esperamos os 32 mil ingressos para a Copa do Mundo prometidos publicamente por você, em nome do COL, para as pessoas com deficiência de baixa renda.

Com apreço,
Romário"

Você pode gostar