Itália brilha com Buffon, bate Uruguai nos pênaltis e garante o terceiro lugar

Penúltimo duelo da Copa das Confederações, na Fonte Nova, teve gols de Cavanni, Astori e Diamanti no tempo regulamentar

Por O Dia

Bahia - Itália e Uruguai encerraram suas participações na Copa das Confederações disputando o terceiro lugar neste domingo, em uma Arena Fonte Nova menos espectadores que o habitual. com menos tempo para recarregar as energias após o duelo de 120 minutos contra a Espanha, na quinta-feira, a Azurra empatou com a equipe sul-americana por 2 a 2. Após uma prorrogação sem gols, a Celeste acabou perdendo nos pênaltis por 3 a 2.

O duelo começou com a Itália trabalhando a bola no meio-campo, tentando dificultar a vida dos uruguaios. Em vão. Já aos cinco minutos Suárez fez bom lançamento para Forlán, que tentou achar Cavani na área, sem sucesso. A equipe chegou de novo com Forlán no minuto seguinte, mas acabou desarmada pela zaga de Cesare Prandelli. O atacante do Internacional não desistiu e, aos 11 minutos, ainda cobrou falta próximo à área, mandando para as mãos de Buffon.

Com o Uruguai apertando a saída de bola, a Itália teve sua grande chance apenas aos 23 minutos e contou com a falta de sorte do goleiro Muslera para abrir o placar. Em cobrança de falta de Diamanti, a bola bateu na trave, resvalou nas costas do arqueiro e chegou a entrou timidamente. Astori completou, chutando para balançar a rede. Após análise da Fifa, o gol foi confirmado para o zagueiro.

Jogadores Itália comemoram primeiro gol sobre o Uruguai na Fonte NovaEFE

A Celeste, que seguia bem na partida, não se abateu e voltou a correr atrás do resultado. Cavani, aos 31, chegou a marcar de cabeça após cobrança de falta de Forlán, mas Djamel Haimoudi marcou impedimento. Pouco depois, foi a vez de Maxi Pereira chegar livre na área. O lateral girou e chutou para outra boa defesa de Buffon. Antes do primeiro tempo chegar ao fim, um lance polêmico marcou a partida. O zagueiro italiano Chillini se atrapalhou dentro da área e chutou a bola no próprio braço. O Uruguai pediu pênalti, que não foi marcado pelo árbitro.

Para a etapa complementar, as duas equipes voltaram sem mudanças. A equipe sul-americana, que seguiu tentando igualar o placar, teve sucesso logo aos 12 minutos. Em jogada de velocidade, Suárez rolou para Cavani, que chutou cruzado no canto esquerdo do gol. O Uruguai voltou a levar perigo com dois chutes a queima-roupa de Forlán, defendidos com categoria.

A Itália, de novo em cobrança de falta, reagiu aos 27 minutos. Diamanti bateu com rasteiro, encobriu a barreira e acertou o canto do gol de Muslera. Com o jogo pegado, não demorou para o Uruguai voltar a deixar tudo igual. Cavani, em lance de falta parecido com anterior, mandou uma bomba no fundo da rede do arqueiro italiano cinco minutos depois.

Cavani comemora com equipe o gol de empate do Uruguai EFE

Prorrogação esgota, mas Itália triunfa

Com poucas chances nos minutos seguintes, o placar terminou igual e Itália voltou a encarar uma prorrogação no torneio. O tempo extra, com as equipes abatidas, começou com velocidade. A Celeste, orquestrada por Suárez, levou perigo em diversas ocasiões no primeiro tempo, mas não teve dificuldades para converter em gol. Aos 10 minutos, o atacante uruguaio caiu na área após empurrão de Chiellini. O árbitro não viu pênalti e mandou o jogo seguir. Aguerrido, a equipe do técnico Óscar Tabárez aumentou o ritmo ainda no primeiro tempo.

O Uruguai seguiu com a mesma força na segunda etapa, ainda que visilmente desgastado. Pressionada, a Itália arriscou poucas vezes - aos cinco minutos, com Candreva, de longe, a bola chegou a passar rente ao gol de Musleira. No lance seguinte, no entanto, uma falta de Montolivo em Suárez rendeu cartão vermelho e deixou a Azurra desfalcada. O atacante sul-americano seguiu se destacando, levando perigo aos europeus, e os últimos minutos foram apenas de pressão uruguaia. Aos 14 minutos, Gargano mandou uma bomba de fora da área. Buffon espalmou e, no rebote, Cavani chutou cruzado para fora.

Com o resultado indefinido na prorrogação, a quarta colocação foi definido nos pênaltis. Fórlan iniciou as cobranças, mandando para a defesa de Buffon, enquanto Aquilan converteu o primeiro da Itália. Cavani, Suárez também marcaram para o Uruguai, mas Cáceres perdeu a quarta cobrança. El Shaarawy fez o segundo da Azurra, De Sciglio perdeu o terceiro pênalti e De Giaccherin acertou o quarto. Gargano, na última cobrança do Uruguai, viu Buffon defender e garantir o terceiro lugar da Itália na Copa das Confederações.


Últimas de _legado_Copa das Confederações