Por cadu.bruno
Rio - Foram mais de 16 mil pessoas  presentes na HSBC Arena para embalar a equipe que fez, durante a temporada, uma campanha quase perfeita. Após firmar o recorde de 20 vitórias seguidas na primeira fase, o Flamengo chegou à final para enfrentar o Uberlândia e, no ritmo da torcida, que aproveitou para homenagear o ídolo Oscar, os rubro-negros garantiram a segunda conquista na história do clube. Campeão em 2009, o time da Gávea bateu o rival por 77 a 70 e faturou mais um título do torneio.
Jogadores comemoram títuloFernando Souza / Agência O Dia

Sem Benite e Marcelinho, Caio Torres foi o destaque do time carioca. Cestinha da partida com 23 pontos, o pivô rubro-negro foi um dos líderes da equipe dentro das quadras e superou a boa atuação do adversário Luis Gruber para garantir a vitória para os milhares de torcedores presentes. Após conseguir abrir boa vantagem no terceiro quarto, o Flamengo foi para os 10 minutos finais apostando na tranquilidade para manter a superioridade no placar e garantir a taça.

"Disputar isso aí não tem preço. É o dia-a-dia. É nossa família sempre dando muita força, meus familiares que não mediram esforços para me apoiar e a esse time maravilhoso, que confiaram no trabalho desde o início e agora chegaram ao objetivo maior. Agora sim eu estou realizado", festejou o treinador José Neto, campeão pela primeira vez na competição.

PONTO A PONTO
La e cá. Em busca do troféu do NBB, as equipes começaram a partida de maneira acirrada. No primeiro minuto, a bola ficou longe da cesta e os primeiros pontos da partida ficaram por conta de Marquinhos, que fez enterrada com 1m06 para abrir a contagem.

Mostrando um bom trabalho e aproveitando a força da torcida, o Flamengo começou a partida bem e venceu o primeiro quarto por 21 a 15. A vantagem, no entanto, não durou na segunda parte do jogo. Sem conseguir demonstrar o mesmo trabalho do primeiro quarto, o Fla acabou perdendo o segundo período por 19 a 12 e vendo o Uberlândia abrir um ponto de vantagem graças à cesta de três pontos de Robert Day nos segundos finais antes do intervalo.

Após a parada no meio do jogo, o Fla voltou com tudo para a quadra. Mesmo depois de começar o terceiro quarto vendo Léo Waszkiewicz fazer bela enterrada no início do quarto, o time da Gávea acertou sua primeira cesta de três com Kojo e embalou a virada.

Com Caio Torres como o cestinha do time e Olivinha dando show nos rebotes, o Flamengo foi um rolo compressor no terceiro quarto. Enquanto os ídolos do futebol Zico e Júnior marcavam presença na arquibancada, o Rubro-Negro derrotou o Uberlândia por 25 a 15 no terceiro quarto e abriu nove pontos de vantagem antes da parte final do jogo.

Do lado mineiro, Robert Day não conseguia encontrar sua melhor atuação, mas Luis Gruber não poupava esforços para tentar ajudar a equipe de Hélio Rubens. Maior pontuador dos visitantes, o gringo, no entanto, via os companheiros esbarrarem no nervosismo e na boa marcação rubro-negra. No último quarto, a vantagem foi a maior arma rubro-negra. Em quadra com o objetivo de manter a calma e a superioridade no marcador, o Flamengo acabou perdendo o quarto por 21 a 19, mas nada que tirasse da Gávea mais uma taça do NBB. 
Marquinhos foi eleito o melhor jogador da temporadaFernando Souza / Agência O Dia

CRAQUE PREMIADO
Após a partida, a LNB divulgou os premiados da temporada e Marquinhos festejou mais dois troféus. Além de faturar o título da competição, o ala rubro-negro contou com mais duas surpresas. Um dos nomes mais importantes do time da Gávea, o ala entrou na seleção do campeonato como o melhor da competição e também foi eleito o melhor jogador da temporada. Após a partida, o camisa 11 não escondeu a alegria e festejou o momento especial.

"Os prêmios foram importantes, mas, apesar de ter sido eleito melhor jogador, o grupo foi mais importante. O título foi o melhor presente de aniversário que poderia ter. Queria agradecer à torcida que me recebeu de braços abertos. Esse título representa um trabalho de muita batalha e superação, um projeto incrível da comissão técnica. Felizmente conseguimos colocar em prática dentro de quadra", afirmou Marquinhos.

Publicidade
Além do camisa 11, o pivô Caio Torres também deixou registrado seu nome na seleção do campeonato, onde foi eleito o melhor da posição na temporada. Ao fim da decisão, o cantor Naldo, torcedor do Fla e admirador do esporte, se apresentou e cantou o Hino Nacional.