Por pedro.logato


Rio - O começo de Campeonato Brasileiro é motivo de preocupação para a comissão técnica do Flamengo. Com dois empate e uma derrota em três rodadas, o time está à beira da zona rebaixamento, com os mesmos dois pontos do Goiás, primeiro entre os quatro últimos. Nesta quarta, o adversário será o lanterna Náutico, no Orlando Scarpelli. O grupo treina hoje pela manhã e viaja em seguida para Florianópolis.

Jorginho comanda treino do FlamengoAndré Mourão / Agência O Dia

Na avaliação da comissão técnica, o time jogou bem apenas contra o Santos. Diante de Ponte Preta e Atlético-PR, o desempenho deixou a desejar. O início de competição tortuoso faz com que o Rubro-Negro precise começar a correr atrás do prejuízo mais cedo do que esperava. Jorginho agora está receoso sobre como os jogadores vão reagir.

“Acende o alerta. A nossa meta era estrear bem, mas não foi possível. Estamos na expectativa de ganhar esses dois jogos (Náutico e Criciúma) para poder voltar bem da pausa (para a Copa das Confederações)”, disse o atacante Paulinho.

O rendimento ruim corrobora o que Jorginho e a diretoria já sabem: o time rubro-negro é limitado. Além da equipe titular ter deficiências, não há peça de reposição para algumas posições. Cada vez mais fica claro que é preciso reforçar o time.

Na lateral direita, por exemplo, Leonardo Moura, 34 anos, não tem reserva. Quando ele não pode jogar, precisa ser poupado, ou até substituído por não estar bem na partida, resta a Jorginho improvisar. Luiz Antonio já colaborou no setor. No último jogo, Paulinho foi o quebra-galho da vez:

“Sou atacante, mas, como falei na minha apresentação, vim para ajudar. Onde o Jorginho precisa, estou aí'', concluiu.

Você pode gostar