Por fabio.klotz
Publicado 05/06/2013 00:16 | Atualizado 05/06/2013 01:15

Rio - Jorginho, mesmo com todo tempo que teve para treinar o Flamengo, continua perdido no caminho para achar o time ideal. Nesta terça-feira, ele comandou um coletivo fechado e manteve sob sigilo a escalação para o jogo desta quarta-feira, contra o Náutico, às 22h, no Orlando Scarpelli. Certo é que Hernane e Wallace serão os substitutos de Marcelo Moreno e González, ambos a serviço de suas seleções. Renato e Rafinha, barrados na última partida, treinaram como titulares e devem voltar.

Renato deve voltar ao time titularCarlos Moraes / Agência O Dia

As constantes mudanças são motivo de insatisfação entre jogadores e até o diretor de futebol, Paulo Pelaipe. Depois de repetir a escalação nos jogos contra o Campinense, pela Copa do Brasil, Jorginho não manteve mais a equipe de uma partida para outra, o que já era comum no Carioca.

Entre os confrontos com o time paraibano, o treinador teve 14 dias para trabalhar. Mas, após conseguir a classificação, voltou a mexer no time. Ele barrou Amaral e entrou com Luiz Antonio diante do Santos, na estreia no Campeonato Brasileiro.

Para o jogo contra os paulistas, quando se esperava que Marcelo Moreno fosse estrear, Jorginho escolheu Hernane. Como justificativa, disse que era uma forma de reconhecer o trabalho do atacante, que foi artilheiro do Carioca. O empate em 0 a 0 com o Peixe recebeu elogios do treinador que, no jogo seguinte, contra a Ponte Preta, barrou o Brocador para a entrada do boliviano. Ramon deu lugar a João Paulo, mas por causa de dores no tornozelo direito. O Rubro-Negro perdeu por 2 a 0. Renato desperdiçou cobrança pênalti e foi vaiado. Rafinha também recebeu críticas. E, na rodada subsequente, ficaram na reserva. Paulinho e Carlos Eduardo ganharam uma chance, numa formação que ainda não havia sido testada nos treinamentos. Renato entrou no segundo tempo e garantiu o empate do Flamengo em 2 a 2 com o Atlético-PR. Agora, mais uma vez Jorginho mudará o time.

“Todos têm que estar preparados para quando a oportunidade chegar. Ele (Jorginho) tem os critérios dele. E eu concordo”, minimizou Elias.

Você pode gostar