Por pedro.logato

Rio - Não será apenas a torcida do Flamengo que viverá grande emoção ao reencontrar o Maracanã após quase três anos. Com uma equipe completamente diferente da última partida no estádio, em setembro de 2010 (0 a 0 contra o Santos), o Rubro-Negro terá mais da metade dos titulares no clássico com o Botafogo, domingo, vivendo a experiência de estrear no principal palco do futebol brasileiro.

Mano Menezes reune os jogadores durante treinamento no Ninho no UrubuCarlos Moraes / Agência O Dia

Dos 11 que provavelmente iniciarão a partida, apenas Felipe, Léo Moura, Elias e Wallace já pisaram no gramado do Maracanã. González, Cáceres, João Paulo, Carlos Eduardo, Marcelo Moreno, Paulinho e Gabriel — fora alguns reservas como Val, Bruninho e Rafinha — não poderão comparar o novo com o velho, o que não diminuiu o desejo de enfim jogar num dos estádios mais importantes do mundo.

“É um sonho jogar no Maracanã, todos querem estar lá. Vou trabalhar muito esta semana para conseguir estar em campo”, afirmou Gabriel.

O meia-atacante está recuperado de dores no adutor da coxa direita, foi liberado pelo departamento médico e tem o restante da semana para mostrar que tem condições de realizar o sonho. O esforço de Gabriel para estar em campo também passa por um simbolismo importante: ele veste a camisa 10 que já foi de Zico, maior artilheiro do Maracanã com 333 gols, e que não pode ficar fora no retorno do Flamengo ao estádio.

“Quando falo em Maracanã me lembro do Zico, maior artilheiro do estádio, e as faltas cobradas por ele. Fui premiado com a camisa 10, tenho essa honra e será uma emoção grande jogar no Maracanã”, disse Gabriel.

Porta-voz dos estreantes de Maracanã ontem, Gabriel e os outros terão a oportunidade de sentir a força da torcida rubro-negra no Maracanã, motivo de conversa entre jogadores.

“Ouço comentários que a torcida inflama mesmo. O Zé Roberto, lá no Bahia, falava que já perdeu quando era adversário e que já ganhou quando jogava pelo Flamengo por causa da torcida. Espero poder ver isso”.

Apesar do preço alto (R$ 100), os rubro-negros já compraram todos os ingressos da arquibancada superior.


Você pode gostar