Por elisa.souza

Rio - O reencontro foi rápido, mas serviu para matar a saudade. Cansados de viajar Brasil afora mesmo com o mando de campo a favor, os jogadores do Flamengo voltaram a jogar no Rio após três meses e iniciam a contagem regressiva para ter o Maracanã como casa fixa ainda nesse ano, apesar de ainda terem de esperar um pouco mais.

Fla matou as saudades do MaracaCarlos Moraes / Agência O Dia

Pelo menos até setembro, quando termina o primeiro turno, o Flamengo mandará seus jogos no Mané Garrincha, em Brasília. O Maracanã será palco do Fla-Flu e de alguns jogos pela Copa do Brasil. Mas no returno a frequência deve ser maior.

“A cobrança acontece mais no Rio e fora é mais festa. Estávamos sentindo falta desse calor. Recebemos muito apoio nos outros estádios, mas é diferente. Esperamos que possamos jogar mais vezes no Maracanã”, afirmou Felipe, que comentou o retorno ao estádio.

“A impressão foi a melhor possível. Os jogadores estavam quase esquecendo como é o apoio dos rubro-negros no Rio de Janeiro. Foi emocionante, é isso que nós sonhamos quando aceitamos jogar pelo Flamengo: jogar com o Maracanã lotado”.

WELINTON DE VOLTA
Após pouco mais de seis meses de empréstimo, Welinton foi devolvido ao Flamengo. O zagueiro, que estava no Alania Vladikavkaz, equipe rebaixada no Campeonato Russo, não está nos planos da atual diretoria e se juntará a Liedson e Alex Silva para treinar na Gávea enquanto não é negociado em definitivo.

Já Alex Silva continua treinando na Gávea à espera da rescisão. Depois de ter ameaçado entrar na Justiça do Trabalho, os representantes do zagueiro entraram em acordo com a diretoria do Flamengo, mas a viagem a Brasília atrasou a assinatura da rescisão, que ficou para o fim da semana que vem.

Você pode gostar