Após vitória do Flamengo, Wallim Vasconcellos fala sobre o futuro do time

Vice presidente evitou confirmar a contratação do zagueiro Chicão e preferiu não comentar episódio de Renato Abreu

Por O Dia

Brasília - Depois de um longo silêncio, o vice-presidente do Flamengo, Wallim Vasconcellos, falou sobre o Rubro-negro carioca no último domingo, após a vitória de 3 a 0 do time sobre o atual campeão da Libertadores, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Sobre a chegada do zagueiro Chicão, que já vem sendo dada como certa e comemorada pela torcida rubro-negra, Chicão foi cauteloso e preferiu não afirmar nada por enquanto.

"Falta assinar a rescisão com o Corinthians, só assim podemos anunciar a chegada dele. É importante ressaltar para o torcedor, que está ansioso com razão por reforços, que fizemos várias negociações que estavam fechadas. Uma com o zagueiro argentino (Heinze), outra com um atacante que estava fechado (Emerson Sheik). Então, não podemos anunciar antes de assinar o contrato. A torcida diz 'Ah, não contrata'. Nós tentamos, negociamos, acertamos tudo, mas enquanto não assinar, não está concretizado. São dois reforços que o Mano pediu: André Santos e Chicão. Há poucas possibilidades. A janela do exterior está fechada e, no Brasil, a maioria que interessa já jogou sete jogos. Então, são poucas opções realmente, mas estamos estudando", declarou ele.

Após silêncio, vice-presidente do Flamengo voltou a falar no último domingoDivulgação

Sobre a polêmica envolvendo Renato Abreu, que entrou recentemente na justiça contra o time, Wallim preferiu não comentar, alegando que isso cabe ao departamento jurídico do clube.

"Tive notícia pela imprensa de que ele entrou na Justiça sexta-feira. Vamos aguardar para saber, mas se entrou mesmo o Flamengo não tem mais nada para fazer em relação a isso. Todo mundo já sabe as razões, já foi conversado, mas, quando a questão passa para Justiça, quem tem que comentar é o departamento jurídico, não o futebol", afirmou.

O dirigente voltou atrás na afirmativa que deu em sua última coletiva sobre a intenção de contratar cinco reforços para o Fla e admitiu que não é provável que sejam tantas as contratações.

"Acho que um ou dois (jogadores). É mais provável. O Chicão vindo já são dois. O Mano tinha falado em três ou quatro. Já dá mais qualidade ao grupo. O terceiro, quem sabe, mas já é mais difícil realmente. Não quero criar expectativa", concluiu ele.

A vitória do Flamengo sobre o Atlético-MG no último domingo tirou o time, que não vem vivendo uma fase muito boa, da zona de degola no Campeonato Brasileiro. Agora, na 12ª posição, o Fla começa a respirar um pouco mais aliviado.