Sem opção, Mano fecha o Flamengo contra o Furacão

Rubro-Negro precisa de vitória para se afastar de vez da zona da degola

Por O Dia

Rio - Mano Menezes ainda tenta montar o Flamengo ideal. Para a partida de quinta, contra o Atlético-PR, às 19h30, no Maracanã, ele mais uma vez escondeu o jogo, após o treino de ontem, mas admitiu que acertar o setor ofensivo tem sido seu maior problema. As alternativas dentro do elenco começam a se esgotar, e o treinador espera a chegada de uma peça para completar o quebra-cabeça. O problema é que no mercado disponível, a Série B, o produto é de segunda, mas os preços são de elite.

Flamengo enfrenta o Atlético-PR no MaracanãAndré Mourão / Agência O Dia

Recentemente, a diretoria iniciou negociação com o América-MG pelo meia Rodriguinho. A multa rescisória para clubes brasileiros, de R$ 20 milhões, foi reduzida pela metade, mas ainda assim o valor se manteve fora da realidade rubro-Negra. Atlético-MG, Grêmio, Santos e Internacional também desistiram do jogador, que foi vendido ao El-Jaish, do Catar.

“Só temos a Série B, né? Ainda vale a pena. Estamos trabalhando, mas é aquela realidade do futebol: daqui a pouco, todos direcionam para um nome, valorizam e aí o cara custa R$ 10 milhões. Está fora de cogitação para todos. Quando se contrata alguém por 10 milhões, imagine a expectativa que é criada?”, disse o treinador, que admitiu estar com dificuldade para acertar o ataque: “Marcar e destruir é muito mais fácil do que construir. Construir exige muito mais. Diria que ainda estamos muito aquém.”

Enquanto não chegam os reforços, Mano se vira com o que tem. Elias, volante de origem, volta ao time depois de cumprir suspensão, para reassumir o papel de protagonista. Felipe, com dores no tornozelo direito e Léo Moura, com cansaço muscular na coxa direita continuam fora. Chicão está relacionado, mas não foi confirmado como titular. Para o técnico, é o suficiente.

“Temos condição de vencer todos os adversários, como já provamos. Vencemos o campeão dq Libertadores, o líder do Brasileiro, o Fluminense... Jogos duros. E contra o Atlético será mais um”, disse.

Clube diverge da prefeitura sobre ajuda para o Ninho

A diretoria do Flamengo protestou, em nota oficial, contra a prefeitura do Rio. Segundo os rubro-negros, Fluminense, Vasco e Botafogo foram beneficiados com cessões de terrenos para a construção de Centro de Treinamento, mas o acordo com o clube não teria sido honrado.

Como o Fla já tem um terreno, pediu R$ 5 milhões em dinheiro para concluir as obras do Ninho do Urubu. “Infelizmente, não foram utilizados os mesmos critérios para todos os clubes”, informa um trecho da nota.

A prefeitura rebateu. Em nota, afirmou que os terrenos voltarão a ser públicos após o contrato. No caso do Fla, o Ministério Público contestou o repasse, já que não haverá retorno para os cofres do município. “A prefeitura estuda uma alternativa para poder colaborar com o Flamengo e reafirma que não poupará esforços para ajudar o clube”, diz a nota.