Jayme de Almeida: Técnico à moda da casa rubro-negra

Nos passos de Carlinhos e Andrade, Jayme tem mais um desafio neste domingo, contra o Criciúma

Por O Dia

Rio - Sempre que o Flamengo precisou, achou dentro de casa um técnico capaz de resolver os problemas do clube. Neste domingo, às 16h, contra o Criciúma, no Maracanã, Jayme de Almeida, efetivado no cargo pelo menos até dezembro, tem mais uma chance de mostrar que o time mudou de postura sob seu comando. E provar a todos que, além de craque, o Flamengo faz treinador em casa.

“O Jayme é criado no clube. O pai dele tem raiz rubro-negra. O Cantarelli (preparados de goleiros) também. Lembram da história do clube, pegam coisas do passado, histórias que viveram no clube. A gente tenta absorver ao máximo tudo. Vamos ajudar o Jayme e o Cantarelli fazendo bons jogos. Quem sabe não fica para o ano que vem?”, disse o goleiro Felipe.

Jayme já comandou seu primeiro treino no FlamengoMárcio Mercante / Agência O Dia

Difícil ver o caso de Jayme e não lembrar de Andrade. Auxiliar-técnico, foi efetivado no meio do Brasileiro de 2009, para substituir Cuca. O ex-camisa 6 uniu o elenco em torno de uma única causa: ser campeão brasileiro. A conquista do hexa provou que não era necessário um treinador de grife, mas alguém que conhecesse o clube como a própria casa.

O ano mais glorioso do clube também foi construído sob o comando de rubro-negros de longa data. O time foi formado por Cláudio Coutinho, que embora tivesse trabalhado na Seleção, Vasco e Botafogo, era torcedor rubro-negro.

Com a saída do treinador após o tri estadual de 1978, 1979 e 1979 (especial), e da conquista do Brasileiro de 1980, Paulo César Carpegiani, recém-aposentado, assumiu o cargo e levou o time às suas principais conquistas: a Libertadores e o Mundial de Clubes de 1981.

Jayme pode encontrar em Carlinhos outra grande referência. O Violino atuou pelo Flamengo de 1958 a 1969. Como treinador, só dirigiu o Fla. E o fez várias vezes, tendo conquistado os Cariocas de 1991, 1999 e 2000, os Brasileiros de 1987 e 1992, a Copa Mercosul de 1999, além de outros torneios menores.

Jayme ainda não perdeu comandando o FlamengoAndré Mourão / Agência O Dia

Elias volta no lugar de Luiz Antonio

Jayme de Almeida fez mistério e não divulgou a escalação do time contra o Criciúma. Quando a imprensa foi liberada para assistir ao treino de ontem, o técnico já havia terminado o coletivo. Pelo pouco que se viu, Luiz Antonio vai perder a vaga para Elias, que volta depois de cumprir suspensão.

Essa será a única alteração na equipe com relação a que enfrentou o Botafogo pela Copa do Brasil. Léo Moura, que volta a jogar uma partida de Brasileiro, é outro trunfo, já que o time não venceu no Brasileiro sem ele. “Os números mostram tudo. Dentro de campo, além de entrar para vencer, também tenho sorte”, disse.