Por fabio.klotz

Rio - Sem muitos recursos, o Flamengo, em determinado momento de 2013, apostou em reforços até então desconhecidos, como Val, Diego Silva e Paulinho. O investimento maior foi feito no meia Carlos Eduardo e também em Elias. Marcelo Moreno foi outro que chegou como status de titular, mas acabou no banco para Hernane. André Santos e Chicão conseguiram se firmar. Campeão da Copa do Brasil, o clube faz um balanço de 2013. Diretor executivo, Paulo Pelaipe avalia o resultado do trabalho à frente do Rubro-Negro

Paulinho deslanchou e caiu nas graças da torcidaMárcio Mercante / Agência O Dia

"O Carlos Eduardo estava praticamente certo com o Fluminense, mas eu viajei para Porto Alegre e fechamos a negociação com ele. Nós tínhamos dois atacantes para contratar. O André e o Marcelo Moreno. O Jorginho optou pelo Moreno e o trouxemos por empréstimo. Já o Paulinho, vi um jogo dele entre São Paulo e XV de Piracicaba e o XV ganhou o jogo. Ele ali me chamou atenção. Passei a acompanhá-lo e me impressionou. Aí um dia eu estava no Ninho do Urubu e tocou o telefone. Era o Cláudio Guadagno, empresário dele, me oferecendo Paulinho e Diego Silva, que estavam bem no Paulista. O André Santos e o Chicão foram indicações do Mano Menezes", disse, em entrevista ao progama "Redação SporTV".

O diretor executivo ainda garantiu que todos os atletas que chegaram à Gávea em 2013 foram avaliados no decorrer da temporada. Por isso, Paulo Pelaipe fechou a maioria dos contratos por empréstimos e agora possui a opção de compra, como o caso de Paulinho.

"O Paulinho está emprestado até 31 de maio e ele custa R$ 1 milhão para o comprarmos. Ele tem um pré-contrato com o Flamengo de três anos com salário pré-estabelecido. Ele recebe propostas de vários times, acredito que só com o Paulinho eu já me paguei no Flamengo (risos)", encerrou.

Você pode gostar