Por pedro.logato

Rio - Com os feriados de fim de ano e o julgamento no Pleno do Superior Tribunal de Justiça, sexta-feira, o Flamengo deve mesmo apresentar reforços apenas em 2014. Campeão da Copa do Brasil e com a vaga na Libertadores garantia, o Rubro-Negro tem dificuldades financeiras que lhe exigem criatividade no mercado.

Wallim já alertou para dificuldades do mercadoDivulgação

Para manter as Certidões Negativas de Débito, o Flamengo terá que, mais uma vez em 2014, gastar cerca de R$ 7 milhões por mês só em impostos. Por isso, precisa manter os pés no chão para não repetir o erro de gestões passadas. Fora outras dívidas.

Com isso, as verbas de patrocínios e TV, começam o ano praticamente comprometidas. A única fonte de receita para contratações é o sócio-torcedor. O clube se aproxima da marca de 60 mil adeptos, atrás apenas de Grêmio e Internacional no Brasil. A expectativa é a alta procura por ingressos após o lançamento dos pacotes da Libertadores atraia mais interessados.

Por enquanto, a diretoria usa as armas que tem. Mapeia o mercado sul-americano e o interior, e busca jogadores por empréstimos. Sem alarde.

A proposta ao Sporting de R$ 12,8 milhões por 50% dos direitos de Elias alcançou o limite do clube. Ainda sem uma resposta, o pai e empresário do jogador, Eliseu Trindade, ameaça retomar a ação na Fifa, caso os portugueses, que devem mais de R$ 2 milhões ao camisa 8 e que seria paga pelo Rubro-Negro no caso de acordo, dificultem a negociação.

Você pode gostar