Contra o Madureira, Erazo tem mais uma chance com a camisa do Flamengo

Zagueiro decepcionou nos dois jogos que fez

Por O Dia

Rio - Frickson Erazo terá uma nova chance. A oportunidade, no entanto, também pode ser encarada como mais um teste. O terceiro do equatoriano, que chegou com moral de jogador de seleção, mas decepcionou nos dois primeiros jogos que fez com a camisa do Flamengo. Nesta quarta-feira, às 22h, contra o Madureira, chegou a hora de o zagueiro mostrar a que veio.

Erazo vai atuar ao lado de Chicão no duelo com MadureiraMárcio Mercante / Agência O Dia

A estreia diante do Macaé parecia ser um teste tranquilo para Erazo. A expulsão, porém, deixou a torcida desconfiada. Sem poder testá-lo novamente contra o Boavista, restou a Jayme de Almeida escalar o zagueiro no Fla-Flu, última partida antes da estreia na Libertadores. No treino, dois dias antes de enfrentar o Tricolor, o equatoriano sofreu um corte na cabeça e levou 15 pontos. Embora tenha mostrado raça ao pedir para jogar mesmo assim, o defensor teve atuação desastrosa no clássico. Ele falhou nos três gols, na derrota do Flamengo por 3 a 0.

Em vez de Wallace, com quem formou a dupla de zaga nos outros dois jogos, Erazo terá, desta vez, a companhia de Chicão, que promete ajudar o companheiro a se adaptar ao futebol brasileiro.

“Por ser experiente, vou tentar ajudá-lo. É um jogador de seleção, está passando por um período de adaptação e vai conseguir mostrar o seu futebol. É uma posição na qual há muita competição, mas é algo sadio e nos respeitamos. Falei para Erazo ficar tranquilo e vou procurar conversar no hotel. É uma boa pessoa, que vai nos ajudar muito”, afirmou Chicão.

Jayme de Almeida escalará o time inteiro de reservas. Desta vez, até Felipe será poupado, já que o próximo jogo pela Libertadores acontecerá apenas na quarta-feira que vem, contra o Emelec, no Maracanã. Paulo Victor será o goleiro. E mais uma vez espera conseguir abrir concorrência com o camisa 1:

“A equipe que vem jogando é outra, mas os reservas querem espaço. Dentro de campo é outra coisa e, no momento que se veste a camisa do Flamengo, você é cobrado, sendo do time A ou B. Estou o tempo todo pronto para o jogo. Às vezes, se defende mais bola contra time pequeno que contra time grande.”