Empurrado pela torcida, Flamengo é campeão da Liga das Américas

Rubro-Negro bate o Pinheiros, conquista título inédito e está na final do Mundial

Por O Dia

Rio - O fator casa fez diferença. A Nação praticamente entrou em quadra quando o time mais precisou. O Flamengo correspondeu ao apoio e conquistou o título da Liga das Américas e está na final do Mundial, à espera do vencedor da Euroliga. Neste sábado, num Maracanãzinho lotado, o Rubro-Negro bateu o Pinheiros por 85 a 78, fez a festa e ouviu das arquibancadas o grito: "Não é mole, não, o basquete é o orgulho da Nação." O Fla conquista a Libertadores do basquete de forma invicta, com oito vitórias.

Flamengo conquistou título inédito no MaracanãzinhoUanderson Fernandes / Agência O Dia

A final foi dramática e nervosa. Mais experiente do Flamengo, Marcelinho brilhou em quadra e anotou 24, sendo os dois lances livres que acabaram com a reação rival e definiram o título. O pivô Meyinsse, com 18 pontos, e Marquinhos, com 14, foram outros destaques.

Pelo Pinheiros, Shamell foi o cestinha do jogo com 25 pontos. Bábby anotou 17. Cria das categorias de base do clube paulista, o jovem Humberto, de 18 anos, entrou bem no jogo e marcou 11 pontos.

Homenagem a Oscar

Antes de a bola subir, Oscar foi homenageado em quadra. O ídolo do basquete recebeu uma placa e uma camisa 14 do Flamengo das mãos do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Assim como na sexta-feira, o Mão Santa foi ovacionado pela torcida rubro-negra.

Oscar foi homenageado antes da decisãoUanderson Fernandes / Agência O Dia

Brocador na arquibancada

O basquete rubro-negro teve o apoio do futebol do clube. O Brocador Hernane e o zagueiro Wallace assistiram à decisão da Liga das Américas das arquibancadas.

O JOGO

A final começou com muitos erros nos chutes. O Pinheiros forçava as bolas longas (foram dez no primeiro quarto) e não teve um bom aproveitamento. O Flamengo alternou o seu jogo interno com tiros de três. Olivinha acertou de fora e fez o Rubro-Negro abrir sete pontos (18 a 11): Mortari parou o duelo. O Fla continuou superior e fechou a parcial em 25 a 15.

Nação rubro-negra esteve presente no MaracanãzinhoUanderson Fernandes / Agência O Dia

As bolas de três de Pinheiros passaram a cair no segundo quarto, com Smith, duas vezes, Shamell e Humberto. A vantagem rubro-negra caiu para apenas dois pontos. José Neto pediu tempo. Bábby empatou e virou o jogo. Marcelinho respondeu com sequência de pontos e recolocou o Fla na frente (46 a 40). Mortari parou a partida para organizar o último ataque do primeiro tempo. Não deu certo. O Flamengo foi para o intervalo com seis pontos de vantagem.

FOTOGALERIA: Flamengo consegue título inédito no basquete

O Pinheiros voltou melhor e passou a explorar Bábby no garrafão. Com ele, o clube paulista empatou o jogo. Porém, o pivõ cometeu a quarta falta pessoal, colocou Marcelinho com três lances livres e foi substituído. A final ganhou em emoção, com as duas equipes se alternando no comando do placar. Neste contexto, o Flamengo viu sua vantagem se restringir a um ponto: 61 a 60.

Os dois passaram a errar em demasia no último quarto. O Pinheiros tinha um aproveitamento um pouco melhor e abriu três pontos numa bola longa de Shamell. Marcelinho respondeu na mesma moeda e empatou o jogo. A torcida do Flamengo foi no embalo e incendiou o Maracanãzinho. Marquinhos, com uma enterrada, colocou fogo de vez na final. Mortari parou o jogo. Smith fez falta ofensiva. Após outra falta, "

O Flamengo aproveitou o momento e abriu seis pontos de frente. Mortari voltou a pedir tempo. O Maracanãzinho era um caldeirão, com a torcida rubro-negra incentivando. O Fla conseguiu administrar a vantagem e conquistou o inédito título.